Jovem Pan Online - RSS

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

ANÁLISE - Olímpia cai de produção, São Carlos surpreende, Assisense estaciona

Cláudio Messias*

Quando do encerramento da Primeira Fase da Segundona 2015 poucos cronistas esportivos que não sejam de São Carlos apostariam que o líder isolado do certame poderia ser justamente o São Carlos. E passadas duas rodadas da decisiva etapa do torneio que era apontado como favorito, derrapa, enquanto os menos badalados começam a acreditar que dá, sim, para ficar com as 4 vagas na Série A-3 de 2015.

O São Carlos desenvolve trabalho de base e mesmo na janela de contratações para a Segunda Fase, há duas semanas, apostou em jogadores revelados pelo próprio clube e que passaram o primeiro semestre de 2015 atuando em outras competições. Planejamento perfeito, dentro de uma realidade em que, para a última divisão do Campeonato Paulista, esbanjar cofres recheados e apoiadores afortunados nada significa quando o assunto é competência de gestão.

O resultado desse trabalho sério, em São Carlos, vem em forma de estatística. Duas vitórias em dois jogos e a melhor campanha entre os 12 clubes que disputam a Primeira Fase. O primeiro resultado positivo, diante do Atlético Assisense (2x0), serviu apenas de alerta para o que poderia vir pela frente, uma vez que o time de Assis havia aplicado, logo de cara, as 4 novas contratações permitidas pela janela de transferência, o que significava 40% de mudança em uma formação que vinha dando certo.

Mas, nesse domingo, o São Carlos recebeu aquele que durante a Primeira Fase inteira foi um dos 4 melhores clubes da Segundona, favorito a uma das vagas na Série A-3 do ano que vem. Convincentes 2x0 sobre o Grêmio Prudente e, aí sim, um merecido lhar maus cauteloso acerca de um estruturado clubes empresa chamado São Carlos, agremiação fundada há apenas 11 anos e que investe pesado na formação de jogadores nas categorias de base.

Quis a tabela da Federação Paulista de Futebol que o São Carlos fizesse a segunda e a terceira rodadas do primeiro turno da Segunda Fase jogando em seus domínios, no estádio Luiz Augusto de Oliveira. Assim, no próximo domingo o atual líder isolado da Segundona recebe o Taboão da Serra, com chances de não só vencer, mas, também, ampliar a vantagem em relação aos vice-líderes, hoje em 2 pontos.

São Carlos, portanto, sério candidato a brigar não só pela vaga na Série A-3, mas, pelo título da Segundona, uma vez que entra em rota de colisão direta com os interesses do até então badalado Olímpia, que não teve suficiência para superar, na rodada passada, o Jabaquara, empatando em 2x2 em pleno estádio Maria Tereza Breda, em Olímpia.

Na periferia dessa disputa encontram-se três times. Jabaquara e Taboão da Serra levam sensível vantagem sobre o Atlético Assisense, uma vez que ainda não perderam nessa fase (mas, também, não venceram). Dois empates para cada e desafios interessantes pela frente. Jabaquara, na próxima rodada, recebendo o lanterna Grêmio Prudente, enquanto o Taboão, como já destacado, indo a São Carlos. Dois empates nesses confrontos interessam diretamente ao Atlético Assisense.

O time de Assis tem a difícil batalha, domingo, de receber o Olímpia, no Tonicão. Uma vitória tem dupla interpretação dentro do contexto em que o torneio encontra-se nesse início de primeiro turno. É que com os 3 pontos o Falcão do Vale, além de somar 4 pontos na classificação, terá a oportunidade de igualar a produção do próprio Olímpia, antes tido como praticamente dono de uma das vagas do Grupo 5 no acesso à Série A-3. Derrota, pois, atrapalharia os planos do Olímpia, hoje detentor, 'apenas', da quarta melhor campanha entre os 12 que disputam o campeonato.

Os prognósticos do blogueiro em relação ao Atlético Assisense e sua meta de classificação continuam os mesmos, em detrimento do que ocorre de êxito ou trágico nos planos de quem antes era badalado. Ou seja, para compensar a derrota acidental sofrida na estreia, o Falcão do Vale precisará vencer um confronto fora de seus domínios. Havia expectativa de que isso ocorresse frente ao Taboão da Serra, o que não ocorreu. Assim, com o empate trazido da rodada passada o time de Assis precisa manter a estratégia de não perder fora e vencer seus confrontos em casa.

Esquecer, pois, qualquer favoritismo do Olímpia passadas 20 rodadas do campeonato e encará-lo, domingo que vem, como adversário passível de ser abatido. O Jabaquara provou para os demais clubes que compõem o Grupo 5 que foi possível abocanhar 1 ponto direto e, indiretamente, tirar 2 pontos do Olímpia dentro da casa do adversário, domingo passado. A defesa do time foi vazada duas vezes em 90 minutos, o que ocorreu apenas duas vezes nesse campeonato, nos confrontos ante Olé Brasil, dia 26 de junho (3x2 para o Olé), e Elosport (2x2), dia 17 de maio. Essas duas derrotas do Olímpia ocorreram justamente no campo de seus adversários.

A matemática da classificação do Atlético Assisense continua sendo a de buscar 8 pontos no primeiro turno e 11 pontos no returno. Trocando em miúdos, vitórias sobre Olímpia e Jabaquara, em casa, agregadas a empate com Grêmio Prudente, fora. Depois, no returno, vitórias em casa sobre Taboão da Serra e Grêmio Prudente e dois empates nos três confrontos fora (vale ressaltar que será necessário buscar uma vitória fora, o que configura o total de 3 jogos como visitante).

Essa vitória do Atlético Assisense como visitante pode ser experimentada daqui a duas semanas, dependendo do desfecho da terceira rodada, com jogos programados para os próximos sábado e domingo. É que o adversário, na ocasião, será o Grêmio Prudente, que no próximo domingo visita o Jabaquara, em Santos. Eventual tropeço do time prudentino representaria a terceira derrota consecutiva na Segunda Fase, desestruturando um trabalho de gestão já abalado com os dois resultados negativos dos últimos 15 dias. Utópico prever, mas em se tratando de prognóstico o que precisa ser considerado é que uma vitória do time de Assis em pleno Prudentão, daqui a duas semanas, praticamente eliminará da disputa um dos dois favoritos da chave para o acesso.

Vale ressaltar que qualquer otimismo em relação aos planos para o Falcão do Vale esbarra na necessidade premente de vencer o Olímpia, domingo que vem. Hoje, o time de Assis tem apenas a penúltima melhor campanha da Segunda Fase, à frente apenas do Grêmio Prudente. Aparentemente, o técnico Carlos Alberto Seixas já fez reparos nas graves falhas táticas que culminaram na perigosa derrota, em casa, na estreia, frente ao São Carlos. O treinador ajustou o time, jogou de igual para igual com o Taboão da Serra no sábado passado e ao que tudo indica está superando o baque provocado principalmente pela perda do atacante e artilheiro Aguiar.

Por fim, mantendo o que o blogueiro projeta desde o início do campeonato, em números meritocráticos há quatro clubes que fazem, hoje, jus às quatro vagas na Série A-3: São Carlos, Inter de Bebedouro, São Bernardo e Olímpia. Nada diferente em relação à Classificação Geral que o Blog gestou na Primeira Fase, à exceção do São Carlos, que nesse G-4 do Acesso tira o lugar do Grêmio Prudente, até aqui a maior decepção da fase decisiva. O Noroeste, que só liderou sua chave, na fase anterior, coincidindo uma tabela em que prevaleceram adversários eliminados de chances de classificação para a fase atual, tem hoje a quarta pior campanha, o que não representa surpresa alguma.

* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

domingo, 30 de agosto de 2015

EU, DA ESCUTA - A rodada em que os últimos tornaram-se os primeiros


SILÊNCIO
Nenhuma emissora de rádio transmitiu Taboão da Serra 1x1 Atlético Assisense. A STI Esportes chegou a cogitar a cobertura, com video, ao vivo, mas, no mesmo horário, transmitia a Copa Paulista.

SILÊNCIO II
Em Assis a rádio Cultura AM seguiu, no horário, com a programação gospel. E a Fema FM, que fez a opção de cobrir somente um clube da cidade, viu o projeto ruir na Primeira Fase.

BARULHO
Enquanto isso, cidades em que a cobertura esportiva é profissional clubes como o Grêmio Prudente têm duas emissoras acompanhando seus passos nos confrontos fora de casa. Nesse domingo, em São Carlos, lá estavam a rádio Comercial AM e a rádio Globo.

SEM BARULHO
O São Carlos, no entanto, só vê as cabines de imprensa do estádio Luiz Augusto de Oliveira preenchidas quando há adversários que, como o Grêmio Prudente, advêm de cidades onde o jornalismo esportivo é legitimamente profissional. Nada de rádio, por lá, dando cobertura.

TRISTE
Blogueiro reencontra Chico de Assis, o Poeta, na saída do estádio Tonicão, domingo passado. Um dos mais competentes locutores esportivos da história do rádio de Assis, com cobertura de final de 5 Campeonato Brasileiros, parado. Desempregado há 7 meses, Chico agonizo com a falta de trabalho e com a saúde fragilizada. Acolhido em sua necessidade de momento, o profissional foi deixado no terminal rodoviário, rumo a Palmital, onde reside.

TRISTE II
Chico de Assis será eternamente lembrado e reconhecido pelo blogueiro pela oportunidade dada, lá em novembro de 1985, de integrar a equipe de esportes da Cultura AM, à época capitaneada por Celso Camilo Costa. Iniciava, ali, a trajetória desse que aqui escreve. Enquanto isso, hoje, o rádio esportivo de Assis agoniza.

FORMAL
Solicitação feito blogueiro, via Ouvidoria da Federação Paulista de Futebol, surtiu efeito. Na semana passada, findado o período de inscrição, com respectivas dispensas, de 4 novos jogadores por cada equipe que disputa a Segunda Fase da Segundona 2015, a instituição divulgou, no site, os nomes e os registros de cada jogador que os 12 clubes classificados contrataram e dispensaram.

FORMAL II
O procedimento será replicado na temporada 2016 do Campeonato Paulista, que novamente restringirá em 28 o número máximo de atletas que cada agremiação poderá inscrever nas Séries A-1, A-2, A-3 e Intermediária. Tudo, claro, em favor da transparência.

FORMAL III
A solicitação do blogueiro, divulgada em postagem cá, nesse espaço, foi feita quando do esgotamento do prazo de inscrições de jogadores na Primeira Fase da Segundona. Na ocasião, clubes como o Vocem perderam-se no Regulamento e deixaram de inscrever o número ideal de jogadores que necessitavam. E havia suspeita de que algumas agremiações tivessem tirado proveito e feito a inscrição de atletas em número excedente. Nada, claro, comprovado. Daí, pois, a necessidade de maior transparência e, assim, a sugestão do blogueiro, agora acatada.

DE NOVO
O TJD, nessa semana, tornou pública mais uma pendência do Atlético Assisense com taxa de arbitragem para a disputa dos torneios de base do Campeonato Paulista. Valor: R$ 1.300,20. O clube tem afirmado, em circunstâncias como essa, que o pagamento, já feito, consta a posteriori.

ATÉ AS CUECAS
O Osvaldo Cruz não tem mais onde ser punido pelo TJD. Na sessão da última segunda-feira o clube perdeu mais 3 pontos de seu ativo, encerrando a Segundona com 9 pontos negativos. Ainda, multa de R$ 200. Jogo do dia 16 de agosto, na derradeira goleada de 10x0 ante ao Grêmio Prudente, em Presidente Prudente.

SEM VENTILADOR
Nos últimos dias alguns contatos vêm sendo mantidos com o blogueiro, via canais de comunicação existentes no próprio Blog ou nas redes sociais, para delatar eventuais circunstâncias envolvendo pendências financeiras por parte de um ou mais clubes da cidade. A resposta tem sido sempre a mesma e, agora, fica aqui o recado para tais inconvenientes: cada um que resolva seus problemas. 

SEM VENTILADOR II
O blogueiro já tornou público, nesse espaço, que o tempo, nesse segundo semestre, está escaço. Doutorado em andamento na USP, compromissos com a pesquisa e, portanto, um tempo reduzido para dedicação ao Blog. Logo, cada postagem feita tem a proposta de ajudar a construir. Se for para desconstruir, com certeza a opção será pela desativação do Blog. Isso não significa, porém, que a crítica esteja desativada. Ela, aliás, está mais afiada do que nunca.

SEM VENTILADOR III
O que ocorre, nessa Sucupira do Vale, é que há uma cultura prevalente de coronelismo, em que um grupo, derrotado, busca de todas as formas inviabilizar que o outro, vitorioso, perdure. Essa tradição local se arrasta há décadas, principalmente na política. E os protagonistas, óbvio, são aqueles que o blogueiro por mais de uma vez denominou como 'urubus do poder', que hoje estão em um galho porque a carniça, abaixo, está mais farta; mas, bastará haver outra carniça mais podre, abaixo de outro galho, e lá vão os urubus mudar abruptamente de lugar.

SEM VENTILADOR IV
A esses urubus do poder o recado do blogueiro: mordam-se, pois aqui, no Blog, o veneno de vocês não funciona. Já são 30 anos desenvolvendo o necessário antídoto. Não por acaso, o slogan do Blog é "Opinião sem preço". Blogueiro pode morrer sem nada, com passagens por Serasa e SPCs da vida, como plebe comum, mas carrega consigo a honra de nunca ter cedido a essa coronelista, baixa e podre política que prevalece em Assis. E, enfim, hoje se dá ao luxo de definir a quem cumprimenta, ou não, à base do livre arbítrio da escolha de quem considera amigo.

NA PAZ
O confronto São Bernardo 1x1 Inter de Bebedouro teve apenas 19 faltas, dez delas cometidas pelos visitantes. Mas, a bola rolou apenas durante 56 minutos.

NA PAZ?
Já o confronto Fernandópolis 2x0 Lemense teve 36 faltas, com exatas 18 infrações para cada lado. E lá, em Fernandópolis, a bola rolou durante 62 minutos e cinquenta segundos.

GRAFIA
Na súmula de Fernandópolis 2x0 Lemense o árbitro Márcio Roberto Soares escorregou na ortografia. Segundo ele, houve "acréscimo de um minuto no primeiro tempo e dois no segundo tempo devido substituições e atendimento médico à (sic) atletas".

BOB CUSPE
O zagueiro Marcelo, do Noroeste, inventou de dar uma cusparada na nuca do adversário, Jeferson, do Manthiqueira. Achou que passaria em vão. Mas, tinha o olho atento do árbitro assistente 1, Alex Alexandrino, que acionou o árbitro Maurício Antonio Fioretti. Marcelo foi expulso com cartão vermelho direto, aos 6 minutos de acréscimo. E, claro, vai parar no TJD.

TEMPO PERDIDO
 O árbitro José Roberto Marques encontrou um jeito nada elegante de justificar os 5 minutos de acréscimo que deu no segundo tempo de Taboão da Serra 1x1 Atlético Assisense. Segundo ele, o acréscimo foi "devido substituições, transporte de jogadores e tempo perdido". Tempo perdido.

CHUVEIRO
Um dos repositores de bola, também conhecido como gandula, do jogo São Carlos 2x0 Grêmio Prudente foi parar na súmula do árbitro Ilbert Estevam da Silva. Motivo: reteve demais a bola, e por mais de uma vez. Foi expulso e, estando na súmula, leva o São Carlos ao TJD. E por uma justa cousa:a bola rolou, apenas, durante 54 minutos.

  NOTA   DEZ  
Para o técnico Carlos Alberto Seixas, que fez três alterações no time e estancou os problemas táticos do Atlético Assisense, voltando do confronto com o Taboão da Serra com 1 ponto na bagagem.

 NOTA   ZERO 
ÀS emissoras de rádio de Assis, sem suficiência para cobrir os jogos disputados fora da cidade.


FIM DE JOGOS - Grêmio Prudente perde a segunda, Olímpia tropeça em casa

Cláudio Messias*

Reviravolta na classificação do Grupo 5 da Segundona 2015. Passadas duas rodadas na Segunda Fase da competição, agora o líder é o São Carlos, após convincente vitória sobre o decadente Grêmio Prudente. Placar de 2x0 no estádio Luiz Augusto de Oliveira, em São Carlos.

No outro jogo da rodada, nessa manhã ensolarada de domingo, o Olímpia saiu ficou à frente do placar duas vezes, mas viu um Jabaquara que, forte, reagiu igualmente duas vezes. Empate no estádio Maria Tereza Breda e, assim, o Olímpia perde dois importantes pontos, que lhe tiram da liderança da chave.

Em São Carlos o time da casa se impôs diante de um Grêmio Prudente confuso. Novo comando técnico do time de Presidente Prudente e algumas novidades nada agradáveis. Por exemplo, o destaque do time, Kairo, foi colocado no banco de reservas e sequer entrou como opção durante o jogo. Por outro lado, as mesmas falhas já conhecidas, principalmente na zaga, e gol sofridos no primeiro e no segundo tempo. William Dias abriu o marcador aos 24 minutos iniciais e Luiz Guilherme deu números finais aos 37 minutos da etapa complementar.

Em Olímpia saíram três gols em nove minutos. E nos nove minutos finais da primeira etapa. Glauco abriu o placar aos 42 minutos, para o Olímpia, e Pedro Paulo empatou aos 47. Glauco, novamente, colocou o time da casa em vantagem aos 49 minutos. Mas, na saída de bola na etapa complementar, Eric empatou para o Jabaquara e esse resultado foi mantido até o final.

Agora, o São Carlos é líder isolado do Grupo 5, com 6 pontos. O Olímpia tem 4 pontos e a vice-liderança. Está a 2 pontos do Jabquara e a 3 do Atlético Assisense. Aliás, o confronto do próximo domingo, entre Atlético Assisense x Olímpia, será ainda mais decisivo para os planos das duas equipes. Uma vitória do time de Assis o coloca com chances de pela primeira vez integrar o G-2 da chave, enquanto o Olímpia sairia da zona de classificação.

O Grêmio Prudente faz o segundo confronto consecutivo fora de seus domínios. Vai a Santos enfrentar o Jabaquara (estádio Espanha) e em eventual nova derrota pode ver reduzida à metade a sua chance de brigar por vaga na Série A-3.

Jã o São Carlos faz uso do benefício que a tabela da Segunda Fase lhe dá e, no segundo jogo consecutivo dentro de seus domínios, recebe o Taboão da Serra. Uma vitória dará ao time de São Carlos a confortável estratégia de começar a trabalhar com a possibilidade de, no returno, na reta final, poder administrar derrota fora de casa sem comprometer o projeto do acesso.

Crédito - O blogueiro acompanhou o jogo São Carlos 2x0 Grêmio Prudente na transmissão da rádio Comercial 1440 AM, de Presidente Prudente. Narração de Luciano Sanches, reportagens de Cid Gomes e comando de Gesner Dias.

* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

INTERVALO DE JOGO - Grêmio Prudente perde a segunda, em São Carlos, e cai para a lanterna

Cláudio Messias*

Além do Olímpia surge, definitivamente, uma nova força no Grupo 5 da Segundona 2015, candidata a uma vaga na Série A-3 de 2016. O São Carlos está batendo, em casa, o irregular Grêmio Prudente e, assim, assumindo a liderança da chave nessa Segunda Fase.

O gol do São Carlos saiu aos 24 minutos iniciais, com William Dias. De acordo com análise da equipe esportiva da rádio Comercial 1440 AM, de Prudente, o time da casa mandou realmente no jogo e soube aproveitar a melhor oportunidade criada. São Carlos que repete o sistema tático trazido uma semana atrás a Assis e que surpreendeu o adversário com contra-ataques rápidos e, principalmente, eficiente.

No outro jogo da manhã o Olímpia recebe o Jabaquara no estádio Maria Tereza Breda. Jogo de três gols, todos saídos após os 40 minutos. Olímpia abriu o placar aos 42 minutos, tomou o empate aos 47 e ficou novamente na frente aos 49 minutos. Jogão de bola que faz com que os demais integrantes do Grupo 5 coloquem as barbas de molho, uma vez que, aparentemente, o Jabaquara joga de igual para igual contra o melhor time do campeonato, dentro dos domínios deste.

Jogos no intervalo, no momento. E, igualmente momentânea, a liderança dividida entre Olímpia e São Carlos, que abrem vantagem sobre o terceiro colocado Taboão da Serra. Olímpia e São Carlos com 6 pontos, Taboão com 2. Esses 4 pontos de vantagem podem, e muito, fazer a diferença nas demais 8 rodadas restantes, que definem o acesso.

Situação dramática vive o Grêmio Prudente, que de destaque na Primeira Fase amarga, agora, a pior campanha do Grupo 5, ocupando a lanterna. De todos os 12 clubes da Segunda Fase, o prudentino é o pior, no momento.

* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

sábado, 29 de agosto de 2015

DEMOGRAFIA - Região de Governo de Assis cresce 'uma Tarumã' em 5 anos

Cláudio Messias*

A estimativa de população dos 5.570 municípios brasileiros, cuja divulgação oficial foi feita nessa sexta-feira, 28, permite um comparativo com o Censo Demográfico 2010. Trata-se de um parâmetro para saber quais municípios tiveram sua população aumentada ou diminuída nos últimos 5 anos.

A região de governo de Assis, vinculada à Região Administrativa de Marília, possui 13 municípios agregados. No Censo de 2010 a população total dessa parte situada a Sudoeste do Estado de São Paulo era de 239.922 habitantes. Nessa sexta-feira os novos números do IBGE mostraram que o denominado Médio Vale tem 254.269 habitantes.

Nos últimos cinco anos, portanto, a população da região de governo de Assis aumentou, em perspectivas oficiais, em 14.347 habitantes. É o equivalente à população estimada, hoje, do município de Tarumã, que segundo o IBGE pode ter 14.205 moradores estabelecidos.

Se fosse feito um ranking desses 13 municípios que compreendem o Médio Vale capitaneado por Assis a cidade-sede da região de governo lideraria com 101.597 habitantes projetados. É quase três vezes a população da segunda colocada Paraguaçu Paulista, que teria 44.794 moradores.

Algumas cidades destacam-se pelo registro de aumento significativo no número de moradores. Tarumã, Cândido Mota, Palmital e Paraguaçu Paulista viram seu contingente populacional ser acrescido por número superior a 2 mil habitantes em meia década. Ênfase, claro, para a pequena notável Tarumã, que tem metade das populações de Paraguaçu e Cândido Mota mas que igualou o avanço de 2 mil novos moradores no período de 5 anos.

Algo, porém, ocorre na região limítrofe entre os estados de São Paulo e Paraná, no setor Sul. É de lá a incidência de dois casos de municípios que estão na contra-mão da tendência de crescimento demográfico do Médio Vale. Florínia e Cruzália tiveram as populações reduzidas no comparativo com o Censo de 2010 do IBGE. Já Lutécia, que está no lado oposto, a Norte, não reduziu, mas, também, praticamente estacionou no quesito população.

Florínia tinha 2.829 habitantes em 2010 e, agora, aparece com 2.799 moradores na estimativa do IBGE. Perda de 30 habitantes. Já Cruzália tinha 2.274 moradores e, agora, aparece com 2.209, redução de 65 habitantes. Lutécia ganhou 15 moradores, passando de 2.714 habitantes em 2010 para 2.729 em 2015.

* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

FIM DE JOGO - Atlético Assisense soma primeiro ponto e continua vivo na Segunda Fase

Cláudio Messias*

Na teoria, os dois adversários menos perigosos que o Atlético Assisense enfrentaria nessa Segunda Fase da Segundona 2015 foram exatamente os que lhe tiraram 5 pontos passadas duas rodadas. Depois de perder para o São Carlos (2x0), em pleno Tonicão, no domingo passado, o time de Assis visitou, nessa tarde de sábado, o Taboão da Serra. Jogo realizado em Santos, devido a punição imposta pelo TJD. Mais um embate de dificuldades extremas.

O Taboão da Serra mandou jogo no estádio Ulrico Mursa, da Portuguesa Santista. E abriu o placar aos 18 minutos iniciais, com Medina. Não há detalhes imagéticos sobre o lance, uma vez que nenhuma emissora de rádio de Assis esforçou-se o suficiente para cobrir os jogos do único time da cidade a avançar para a Segunda Fase. Nada a esperar de cobertura da parte da imprensa de Taboão da Serra, que tradicionalmente não acompanha o time.

O gol de empate do Atlético Assisense, ao menos na formalidade, permite dúbia interpretação. No placar online da Federação Paulista de Futebol aparece que o gol de empate marcado por Pedrão aconteceu logo a 1 minuto do segundo tempo. Na súmula, porém, o árbitro José Roberto Marques, em comum acordo com o quarto árbitro Filipe Buglia Cordeiro, registra que o gol dos visitantes saiu aos 49 minutos, ou seja, aos 4 minutos do segundo tempo, já que não houve acréscimos na primeira etapa.

Extremamente faltoso, o confronto em Santos teve a bola rolando durante 60 minutos. Foram cometidas 47 faltas no total, 29 delas por parte do Taboão da Serra. O time mandante também recebeu 3 dos 5 cartões amarelos do jogo. Não houve expulsões.

Encerrado o segundo jogo o Atlético Assisense soma o primeiro ponto na Segunda Fase. Sai temporariamente da lanterna, pois o último colocado Grêmio Prudente visita, amanhã, o São Carlos. Para o planejamento a longo prazo o Falcão do Vale fez bem em trazer esse primeiro ponto, pois o ideal, agora, é esquecer a derrota de domingo passado para o São Carlos e almejar, nos 8 jogos que ainda restam, uma vitória fora de casa, que compensaria o tropeço da estréia nessa fase.

Agora, os planos do técnico Carlos Alberto Seixas passam a focar o jogo de domingo que vem, em Assis, contra o Olímpia. Trata-se do Jogo do Ano para o Falcão do Vale, uma vez que sofrer mais uma derrota como mandante representaria começar a dar adeus à vice-liderança da chave e, consequentemente, à vaga na Série A-3 do ano que vem. Em eventual empate, esse resultado, por mais desastroso que possa parecer, é entendido como dentro da normalidade, justamente pelo fato de o Olímpia ser o melhor time do campeonato até aqui. Nesse caso hipotético, porém, prevaleceria a ordem obrigatória de buscar uma vitória fora de casa e, a partir de então, vencer todos os demais jogos como mandante.

Mudanças - A matemática é complicada, os adversários são difíceis, mas o Atlético Assisense continua, em produção, compatível aos demais clubes que buscam o acesso à Série A-3. Visivelmente, o técnico Carlos Alberto Seixas fez mudanças não só na escalação, mas na forma de jogar desse time que, na prática, chega às súmulas 40% reformulado. Gabriel Modesto, que começou jogando na derrota para o São Carlos, hoje começou no banco. Ao menos na impressão do blogueiro o jogador está um pouco acima do peso, ou seja, literalmente pesado, fora de ritmo. Com certeza, tende a contribuir com o time, pois comprovou saber jogar na posição e, principalmente, entender o que Seixas quer em campo. Tudo, porém, conforme o seu tempo. E desde que esse tempo não consuma mais do que 8 rodadas.

Hoje o Falcão do Vale entrou, logo de cara, com 3 alterações em relação ao time que perdeu para o São Carlos na rodada anterior. Saíram Gabriel Modesto, Magno e José Luis (nomes que constam em súmula, sem apelidos). Entraram Pedro Henrique, zagueiro, Luca Frazão, meia, e Geovani, meia-atacante. Mexidas providenciais de Carlos Alberto Seixas nos três setores fundamentais, que pareciam não falar a mesma língua, domingo passado, no Tonicão. Tendência, pois, que essa base de hoje seja mantida na próxima rodada.

Rodada - Nessa manhã de domingo outros dois jogos encerram a segunda rodada da Segunda Fase pelo Grupo 5. O Olímpia recebe o Jabaquara e o Grêmio Prudente visita o São Carlos. Pelos resultados até aqui o ideal é que o Olímpia mantenha o favoritismo e, somando três pontos, segure o Jabaquara com o mesmo 1 ponto do Falcão do Vale. No outro confronto, o empate entre São Carlos e Grêmio Prudente mantém o time prudentino na mesma pontuação e, mesmo permitindo que o São Carlos chegue aos 4 pontos e, assim, assuma isoladamente a vice-liderança da chave, o mantém em uma margem de pontuação perfeitamente passível de reversão. E, nesse caso, já pensando no returno, seria providencial que a necessária vitória fora de casa do Atlético Assisense ocorra justamente no troco ao São Carlos.

* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

SITUAÇÃO DE MOMENTO - Atlético Assisense empata o jogo em Santos: 1x1

Cláudio Messias*

O Atlético Assisense acaba de empatar o jogo no estádio Ulrico Mursa, em Santos, onde o Taboão da Serra está, excepcionalmente, mandando seus dois primeiros jogos como mandante nesse primeiro turno da Segunda Fase da Segundona 2015. O time 'da casa' abriu o placar aos 32 minutos iniciais, com Fernando. O Falcão do Vale empatou logo a 1 minuto da etapa complementar, com Pedrão.

Não há transmissões ao vivo dessa partida. Fica, apenas, a opção de monitoramento do placar online da Federação Paulista de Futebol, que por mais de meia hora indiciou o gol de empate do Atlético Assisense, mas não assinalou a autoria. Somente aos 35 minutos finais houve indicação de que Pedrão deixou o placar igualado em 1x1.

Com esse resultado, parcial, o Atlético Assisense soma o primeiro ponto na Segunda Fase. Como ainda não é possível saber sobre o andamento do jogo, o parâmetro de análise é a abertura de placar, primeiro, pelo mandante Taboão. Dessa forma, somar um ponto como visitante, depois de estar em desvantagem no marcador, acaba sendo um bom resultado.

No outro jogo da tarde, pelo Grupo 4, o Manthiqueira está dando trabalho ao Noroeste. Time da casa, em São Paulo, abriu o marcador aos 18 minutos iniciais, com Medina, mas cedeu empate dois minutos depois. Hygor, cobrando pênalti, fez o gol do Noroeste. Aos 44 minutos Jhoni colocou novamente o Manthiqueira na frente: 2x1.

Os dois jogos estão no segundo tempo.



sexta-feira, 28 de agosto de 2015

DEMOGRAFIA - Estimativa do IBGE mantém Assis com mais de 100 mil habitantes

Cláudio Messias*

A controvérsia entre as estatísticas do IBGE, que são federais, e da Fundação Seade, que é paulista, continua quando o assunto é a população de cidades como Assis. De um lado, o órgão federal continua mostrando a Sucupira do Vale com mais de 100 mil habitantes. Já a Seade aponta 97 mil habitantes.

Nessa sexta-feira o IBGE divulgou mais uma estimativa populacional para o país, considerando como parâmetro os últimos censos demográficos. País com 204,7 milhões de habitantes, o estado de São Paulo com 44,4 milhões de pessoas e Assis com 101.597 moradores. Se no país nasce um novo brasileiro a cada 19 segundos, em São Paulo surge um novo paulista a cada 1 minuto e 29 segundos. Não há esse tipo de parâmetro para Assis.

Algumas cidades próximas se destacam nas novas estatísticas do IBGE. Marília, por exemplo, saltou de 204 mil habitantes, no início da década passada, para impressionantes 232 mil marilienses. É praticamente uma cidade de Cândido Mota (31.131) incluída naquele perímetro urbano em 15 anos.

Por outro lado, Bauru aparenta estar dando uma freada no crescimento populacional. Estacionou nos 366 mil habitantes e viu Londrina, no Paraná, que igualmente registrou explosão demográfica a partir da década de 1980, disparar: 548 mil moradores. Londrina, aliás, foi transformada em Região Metropolitana na década passada e agrega, com demais municípios, a condição de 26.a colocada entre as emergentes metrópoles do país, totalizando 1.076 mil habitantes. Ainda, Londrina é o 18.o município brasileiro com população acima de 500 mil habitantes.

Na contramão do crescimento demográfico a região perdeu o status de ser sede do município com menor concentração de habitantes do país. Borá, com 836 habitantes, agora é 'mais populosa' do que Serra da Saudade, do interior de Minas Gerais, que tem 818 habitantes.

* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

CLASSIFICAÇÃO GERAL - Atlético Assisense distancia, em produção, do G-2

Cláudio Messias*

A retórica continua sendo a mesma quando o assunto  é produção compatível à margem necessária para garantir vaga na próxima fase da Segundona 2015. Logo, somadas todas as 12 campanhas dos clubes que encontram-se na Segunda Fase, medir as chances de cada um de chegar à Série A-3 de 2016 requer considerar o que, durante todo o certame, cada agremiação produziu.

Passada a primeira rodada da Segunda Fase há algo lógico prevalecendo nos números da Segundona. O Olímpia continua sendo o melhor clube, em todos os quesitos que valem na soma de critérios previstos no Regulamento. O clube soma 45 pontos, 14 vitórias e saldo positivo de 27 gols, resultado de uma defesa que é a menos vazada no torneio (8 gols). Olímpia que venceu o Grêmio Prudente (2x0) em pleno estádio Prudentão e, nesse domingo, recebe o Jabaquara, que tem somente a sexta melhor campanha entre os 12 que figuram a Segunda Fase.

Os clubes que perderam em casa chegam a essa segunda rodada da Segunda Fase pressionados. É o caso do Atlético Assisense, derrotado pelo São Carlos (2x0) e, agora, precisando sair de Santos, onde nesse sábado enfrenta o Taboão da Serra, com 3 pontos, para manter-se próximo do G-2, ou seja, o selete grupo formado pelos líder e vice-líder da chave que garantem vaga na Série A-3. Time de Assis na lanterna do Grupo 5 e vendo o São Carlos, na rodada, receber o Grêmio Prudente. Na base do 'secômetro', torcida por vitória do Olímpia e empate entre São Carlos e Grêmio.

A vantagem do Atlético Assisense, quando cruzadas as campanhas desde o início do campeonato, é que o Taboão da Serra mostra-se o mais irregular entre os 12 clubes que disputam a Segunda Fase. Taboão com 34 gols marcados, mas, em contrapartida, uma defesa inconstante que sofreu 23 gols. O fator que muita gente considera favorável para o time de Assis mas o blogueiro ignora é que o adversário desse sábado mandará seu jogo no estádio Ulrico Mursa, em Santos, cumprindo punição determinada pelo TJD. Pouca ou nenhuma diferença isso faz, pois o Taboão praticamente não leva torcida a seus jogos e desde 2013, quando enfrentou o mesmo Atlético Assisense na Segunda Fase da Segundona, já intercalava mandos de jogos fora de Taboão da Serra.

Dos 9 jogos que mandou na Primeira Fase, nesse ano, o Taboão da Serra venceu 5, empatou 2 e perdeu outras duas. Já o Atlético Assisense é visitante ingrato, pois em 9 jogos fora de seus domínios venceu 5, empatou 2 e perdeu somente duas vezes. Chance, portanto, de, aproveitamento o retrospecto da temporada, o Falcão do Vale buscar os 3 pontos que o recolocam na briga direta pela vice-liderança da chave. Prognóstico esse, é bom ressaltar, que considera a irregularidade na campanha do Grêmio Prudente, que tem perdido fôlego desde a segunda metade do returno da Primeira Fase.

* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

BILHETERIA - Segundona duplica média de público na Segunda Fase

Cláudio Messias*

Agora são apenas 12 clubes em disputa, decidindo em dez rodadas quais serão os 4 classificados para a Série A-3 de 2016. Com esse atrativo o público das seis primeiras cidades cujos clubes receberam jogos na primeira rodada da Segunda Fase da Segundona 2015 melhorou consideravelmente. Em relação à média geral da Primeira Fase a média de público mais que triplicou.

A Inter de Bebedouro continua sendo o maior fenômeno de bilheterias da temporada. No final de semana passado 1.852 torcedores pagaram ingressos para ver a vitória (3x2) sobre o Fernandópolis, no estádio Sócrates Stamato. Ingressos vendidos a R$ 40 no setor de cadeiras, R$ 20 na arquibancada. Diretoria, porém, empolgou-se, encomendando 7.300 ingressos e, assim, devolvendo 5.548. Arrecadação de R$ 25.950,00, ante despesas de R$ 3.913,80 e renda final de R$ 22.036,20.

O Atlético Assisense continua protagonizando misterioso registro de público no estádio Tonicão. Depois de surpreender às mais de mil pessoas que foram ao derby Atlético Assisense 0x2 Vocem, na antepenúltima rodada da Primeira Fase, com público de 724 pagantes, agora o Falcão do Vale divulga público de exatos 724 pagantes para Atlético Assisense 0x2 São Carlos, domingo passado, com a sensação de que havia bem menos torcedores nas arquibancadas. Arrecadação de R$ 9.217,00, para despesas de R$ 2.756,00 e, assim, renda de R$ 6.460,00.

Se o Diadema foi 'imbatível' no fator pior desempenho em bilheterias na Primeira Fase, agora o Lemense é que assume essa condição. O time de Leme havia levado 1751 pagantes na fase anterior e, domingo passado, atraiu 351 torcedores ao estádio Bruno Lazarini no empate sem gols com o Manthiqueira. Em números, 15 torcedores a mais no outro empate sem gols entre Jabaquara x Taboão da Serra.

No Ranking das Bilheterias organizado pelo Blog a liderança é da Inter de Bebedouro, que colocou, até aqui, 15.820 torcedores no estádio Sócrates Stamato. É mais que o dobro se comparado aos 7.433 torcedores que o Grêmio Prudente colocou, até aqui, no estádio Prudentão.

A média de público da Segundona também melhorou consideravelmente. De 475,7 pagantes por rodada, na Primeira Fase, agora o torneio registra 922,33 torcedores passando pelas bilheterias. Ao todo, em 276 jogos realizados (dois W.O), 74.202 torcedores pagaram ingressos.


* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

PERSONAGENS - Atlético Assisense 0x2 São Carlos


O estádio é inacabado, a Prefeitura é incompetente, mas, que o Tonicão é
imponente, ah, isso é! Deveria ser mais respeitado e bem cuidado.

O aquecimento é quase um balé de atletas, cena pouco vista e-ou prestigiada pela
torcida, que costuma chegar em cima da hora

O ninho da coruja está mais vazio e prevalece a dúvida: os filhos
bandearam ou a mãe é que bateu as asas?

A torcida organizada veio de São Carlos e marcou presença no inacabado Tonicão

A faixa corresponde a uns 400% do tamanho da organizada sãocarlense

O São Carlos entrou primeiro...

... e, time grande que é, cumprimentou a torcida adversária...

... e depois agradeceu pela presença da organizada sãocarlense.

Antes de entrar em campo, aquela força, com os derradeiros discursos de líderes

E não é que teve bebezão de mascote na entrada em campo?

O trio de arbitragem entrou mais tarde que o normal em campo

Ena retórica da boa educação, time grande entra em campo e
cumprimenta a própria torcida e,...

... depois, cumprimenta a torcida adversária.

Na Segunda Fase a Federação brinca de ser séria e equipa a arbitragem
com pontos eletrônicos de comunicação

O novo look da simpática repositora de bolas

O goleiro Augusto foi advertido pelo árbitro sobre algo errado com a roupa
que usava debaixo do uniforme...

... foi para o banco, retirou a tal peça irregular...

... foi apoiado pelos companheiros...

... retornou a campo já com o Hino Nacional sendo executado...

... mas não sem antes trocar uma ideia com a arbitragem...

... tempo suficiente para ajeitar-se e entrar em formação regular...

... enquanto o árbitro ajeitava a gola da camisa.

Ao estilo 'ordem unida' o Falcão do Vale segue a tradição

Já o São Carlos, que repete as cores da antiga Sãocarlense, manteve a
postura comum em respeito ao Hino Nacional

No banco do Atlético Assisense, iguais união e respeito

Terminado o Hino Nacional o goleiro Augusto saiu em cumprimento aos árbitros
esquecendo-se que ainda havia o Hino de Assis: primeira falha do dia

O trio de arbitragem teve atuação regular no jogo

O tradicional cumprimento entre as equipes


Moedinha pra cima e a saída de bola pertenceu ao São Carlos

Torcida grita os nomes dos jogadores daqui, atletas acenam de lá...

O São Carlos demonstrava, desde o início, uma determinação
incomum em visitantes

O Atlético Assisense tinha, igualmente, união, mas, faltava algo...

O primeiro gol, logo no início, baixou o astral do Falcão do Vale

O objetivo estava cumprido e o drama do Atlético Assisense só começava

O famoso setor de cobertas do Tonicão estava 'lotado': prova da
incompetência de quem se propõe a gestar o esporte em Assis

Tudo tranquilo no banco de reservas do São Carlos

O ingresso estava garantido na mão do garotinho...

... e garantiu meia-entrada.


Essa história da corneta rendeu muito. E terá desdobramentos. Aguarde...

O público feminino continua prestigiando os jogos do Falcão

Esse braço representa muito no simbólico amor de filho para pai

A elegância da juventude feminina que comparece ao Tonicão

A rapaziada também comparece

Beleza feminina em destaque nas arquibancadas

E lá, do outro lado, mãe e filha se entrelaçam

Quem conhece a história da antiga Sãocarlense sabe bem
que recordação essa roupa traz

A nova geração marca presença nas arquibancadas

A manhã é de inverno, mas o sol parece ser de verão: e dá-lhe hidratação

E cada um se protegia do sol como podia, em estádio sem cobertura

Lembra do torcedor com a corneta? Então... a torcida exigiu 'silêncio'
 e ele, atendeu.Mas, ainda haverá desdobramentos. Adiante.

O Atlético Assisense insistia, exageradamente, em jogadas aéreas

Beleza feminina em destaque, mais uma vez

E se o destaque é a beleza feminina, pedir 'bis' nunca é demais!

Os lances de jogadas aéreas, via de regra, paravam na forte defesa do São Carlos

Digamos... tris.

Jogada de bola parada, no ataque do Falcão...

... mas, via de regra, novamente, a defesa adversária saía na vantagem.

Antes do reinício do jogo, aquela fé sãocarlense.

A saídsa de bola, na etapa complementar, pertenceu ao Falcão do Vale

Tudo azul no reflexo dos óculos da jovem

Encontro de muitas gerações nas arquibancadas do Tonicão

Toda a elegância do tiozinho do chapéu

Bola aérea na defesa do São Carlos era uma certeza:
nas mão so dgoleiro adversário

Esa bola, no início do segundo tempo, acertou a trave esquerda do São Carlos

Muita tensão nas orientações sãocarlenses

Segurança privada no Tonicão nessa fase final

E o segundo gol, também no início da etapa complementar, foi um
balde de água fria nos planos do Atlético Assisense

E a galera jovem faz das arquibancadas um point no Tonicão

Captura de imagens no Tonicão

Da série "é o cinegrafista que está filmando o blogueiro ou é o
blogueiro quem está fotografando o cinegrafista?"

Em primeiro plano, um atendimento de celular normal...

...mas, aos poucos, vai aparecendo um copo de água...

... na outra mão. E fica a pergunta: com que finalidade?

Toda beleza feminina será respeitada.

Nessa hora a voz da experiência diz: "que jogo é esse?"

Cabelos...

E o calor não dava chance pra ninguém. Mesmo assim, sem
parada para reidratação dos atletas


Era bola lançada na área do São Carlos e defesa prevalecendo

Essa expulsão sepultou as chances de reação do Falcão

O que dizer desse jogo, voz das experiência?

O pai deve perguntar ao filho: que futebol é esse?

O atleta, cirurgiado, recupera-se

Dois bonés vermelhos, um branco

O apoio feminino vem das arquibancadas

Sem corneta, o que restou ao torcedor foi sentar... e lamentar.

Nandes, a voz da experiência do Tonicão: um exemplo

Fim de jogo: vitória incontestável do São Carlos

Os tradicionais cumprimentos finais: não deu para o Falcão

O respeito prevaleceu no final: superioridade dos visitantes.