Jovem Pan Online - RSS

sexta-feira, 31 de julho de 2015

FIM DE JOGO - Fernandópolis aplica sobre Osvaldo Cruz maior goleada da Segundona: 9x0

Cláudio Messias*

A expressão 'cumprir o dever de casa', utilizada no futebol, ganhou dimensões galáticas nessa noite de sexta-feira, no estádio Cláudio Rodante, em Fernandópolis. O time da casa aplicou sonora goleada sobre o Osvaldo Cruz: 9x0, após um início de jogo que desagradou parte da imprensa esportiva da cidade (3x0 no primeiro tempo).

O goleador da noite foi Henrique Coelho, que agora chega a 10 gols, mas não sem ter polêmica envolvida. É que o atacante do Fernandópolis assinalou o nono e último gol, aos 41 minutos finais, porém o árbitro atribuiu autoria a outro artilheiro, Diego Choque. De acordo com a equipe de reportagem da rádio Difusora 1660 AM, de Fernandópolis, o gol foi claramente marcado por Coelho. Resta, agora, conferir a súmula. A única certeza é que com 10 ou 9 gols Henrique Coelho fica atrás de Mateus Aguiar, do Atlético Assisense, artilheiro isolado da temporada, com 11 tentos.

Os nove gols do Fernandópolis foram assim registrados:

 1.o Tempo 
16' Guilherme Pity
36' Radsley
42' Guilherme Coelho
 2.o Tempo 
05' Guilherme Pity
17' Henrique Coelho
29' Netinho
36' Henrique Coelho
39' Lucas Matos
41' Henrique Coelho

Com essa goleada o Fernandópolis assume, momentaneamente, a quarta colocação, deixando o Vocem em quinto. Fefecê e Vocem empatados com 26 pontos cada, mas com a Água abrindo o melhor saldo de gols da Segundona até aqui: 19 tentos. Trata-se, pois, do primeiro critério de desempate previsto no Regulamento da competição. Não bastasse isso, o Águia soma 32 gols marcados, também o melhor desempenho entre os 30 clubes que disputam o campeonato.

A tônica do Fernandópolis, a partir de agora, é secar o Vocem no jogo dessa tarde de sábado, no estádio Prudentão, frente ao Grêmio Prudente. Empate ou derrota do time de Assis e, assim, jogar tudo para a penúltima rodada, na semana que vem, quando o Fefecê recebe o América, também em Fernandópolis, em jogo teoricamente mais fácil se comparado ao desafio que o Vocem tem ante ao Atlético Assisense, no derby de Assis. A estratégia, pois, é chegar à última rodada, justamente contra o Vocem, em Assis, podendo administrar o resultado natural de visitante, que seria o empate. Desde, claro, que o Vocem cometa tropeços. Mas, daí a isso se confirmar, aí já é mero sonho fernandopolense.

Crédito - O blogueiro acompanhou os detalhes de Fernandópolis 9x0 Osvaldo Cruz na transmissão da rádio Difusora 1160 AM, de Fernandópolis. 


* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

INTERVALO DE JOGO - Fernandópolis leva 45 minutos para fazer 3x0 no Osvaldo Cruz

Cláudio Messias*

Uma noite de muitos boatos na Segundona 2015, especialmente nos bastidores do Grupo 1. No estádio Cláudio Rodante o Fernandópolis está recebendo o eliminado e punido Osvaldo Cruz. Vence por 3x0 e assume momentaneamente a quarta colocação, colocando o Vocem em quinto.

Muitas especulações foram feitas pela imprensa esportiva fernandopolense. Entre elas, uma eventual mala branca para que o Osvaldo Cruz vencesse o confronto e, assim, praticamente eliminasse as chances do Fernandópolis de passar para a Segunda Fase. Se havia isso, não deu certo.

O que está dando nessa noite de futebol em Fernandópolis é vitória parcial do time da casa: 3x0, fora o baile. O primeiro gol foi marcado aos 16 minutos, com Guilherme Pity. O segundo saiu somente aos 36 minutos, com Radsley. Henrique Coelho deu número parciais aos 41 minutos. Afora isso, duas bolas na trave e pelo menos três chances claras de gol desperdiçadas pelo Águia.

Jogo no intervalo. Osvaldo Cruz com quatro jogadores no banco de reservas e passível, novamente, de punição com perda de 3 pontos no jogo dessa noite, uma vez que levou, novamente, jogadores das categorias de base. Ou seja, quem pagasse R$ 5 mil pela vitória do Azulão estaria, na realidade, jogando dinheiro fora, pois de uma maneira ou outra o Fernandópolis ficará com os 3 pontos.

Com essa vitória o Fernandópolis chega aos mesmos 26 pontos que o Vocem, mas tem a vantagem de ter marcado 26 gols, ante 23 do time de Assis, e ainda apresentar saldo positivo de dois gols a mais. Vocem que entra em campo nesse sábado, indo a Presidente Prudente visitar o Grêmio Prudente e com um empate retomaria a quarta colocação, pois ficaria com um ponto a mais e, assim, deixaria o rival de Fernandópolis pra trás.

Crédito - O blogueiro está acompanhando o jogo Fernandópolis 3x0 Osvaldo Cruz na transmissão irreverente da rádio Difusora 1160 AM, de Fernandópolis.


* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

PRELIMINAR - Fernandópolis e o antagônico trajeto entre céu e inferno


LIBERADO
A décima sexta rodada da Segundona 2015 começa nessa sexta-feira, à noite, com o irregular Fernandópolis recebendo o eliminado e punido Osvaldo Cruz. Fefecê fazendo jogo que sabe, mesmo sem entrar em campo, garantir três pontos. É que, apesar de ser grande a possibilidade de o time da casa tropeçar e não vencer, o Osvaldo Cruz, que tem utilizado atletas da categoria de base não inscritos para a disputa da Segundona, tende a perder eventual ponto dese confronto e, pior, ficar sem os únicos três pontos que soma hoje.

GANHAR OU GANHAR
O comentarista Esmerilho, da rádio Difusora 1160 AM, de Fernandópolis, deu, agora à noite, o que definiu como "furo". Dizendo ser informação exclusiva, o cronista garantiu que o prefeito de Presidente Prudente, Tupã, teria dado a seguinte ordem ao Grêmio Prudente: se o time não vencer o Vocem, nesse sábado, toda a comissão técnica será demitida.

GANHAR OU GANHAR II
Na realidade, a vitória do Grêmio Prudente nem tem tanta representatividade com relação ao Vocem, adversário a quem, por sinal, o time prudentino venceu, em pleno estádio Tonicão, no primeiro turno (2x0). A richa do time de Presidente Prudente é para com o técnico Tupãzinho, cuja saída, rodadas atrás, foi um tanto turbulenta. Bastidores fervendo para o jogo desse sábado, no Prudentão.

GANHAR OU GANHAR III
A ordem de vitória sobre os comandados de Tupãzinho tem, realmente, um tempero ácido. É que o Grêmio Prudente tem, desde a semana passada, a sombra do Noroeste, que nesse mesmo sábado não deve ter dificuldade para vencer o eliminado José Bonifácio, em Bauru. Vitória do Noroeste e eventual empate do Grêmio colocam em xeque a liderança do Grupo 1 e, inclusive, a classificação do time prudentino, dependendo de outros resultados. Já a vitória carimba a passagem do Grêmio para a Segunda Fase.

DESORDEM
A reportagem de campo da rádio Difusora AM, com Ivan Gomes, de Fernandópolis, lamentou a desorganização da comissão técnica do Osvaldo Cruz. É que a comitiva que está no estádio Cláudio Rodante, nessa noite de sexta-feira, liberou uma lista de escalação com atletas faltando na linha, e sobrando no banco de reservas. E faltava jogador com a camisa 9, o que, subentendia-se, implicaria em o Osvaldo Cruz jogar com apenas 10 atletas. Só que no banco de reservas havia 4 jogadores listados. O equívoco foi corrigido depois.

DINHEIRO, ONDE?
Houve, durante a semana, especulação sem-fundamento de que o Tanabi teria recebido mala-branca para vencer o Fernandópolis, domingo passado, por 3x2. O dono do plantio do boato não sabe, apenas, que o Tanabi tem, sim, condições matemáticas de brigar por uma vaga na Segunda Fase. E que não há um clube sequer, nesse Grupo 1, que tenha dinheiro em caixa para pagar algo que não seja os salários dos próprios jogadores. E olha que nem isso alguns clubes que se dizem verdadeiros cofres de dinheiro têm conseguido cumprir ultimamente.

DINHEIRO, ONDE? II
Na base da insanidade não dá para saber quem é mais fora da casinha: quem inventa boato ou quem acredita nele. Mas, a equipe esportiva da Difusora AM, de Fernandópolis, deu mais um "furo": o Osvaldo Cruz, segundo 'fontes fidedignas', receberia R$ 5 mil para vencer o Fefecê. E fica a pergunta: quem rasgaria R$ 5 mil, sabendo que o Osvaldo Cruz, pela tendência das últimas semanas, perderia esses pontos pela evidente escalação de jogadores irregulares? Deem-nos licença, por favor!

SEM-FUNDO DO BOM?
A imprensa esportiva da região de Rio Preto foi procurada, na semana, por um comerciante da cidade. O motivo: dono de um restaurante, o homem foi surpreendido pelo banco quando solicitado para buscar um cheque que, depositado em sua conta, havia retornado por falta de saldo. Esse cheque teria sido dado por um clube que foi a Tanabi, nessa temporada. Foi feito contato com o blogueiro, mas, como é de praxe, nesse tipo de assunto o Blog não entra. Fiquemos com o que há de bom no futebol: vitórias, empates e derrotas. Cada um que cuide do que coloca em seu próprio prato.

LIBERADO
A Federação Paulista de Futebol aceitou recurso impetrado pelo América. Assim, liberou o estádio Teixeirão para o jogo desse domingo contra o eliminado Bandeirante. Aquela praça esportiva havia sido interditada, na semana passada, devido à ausência de laudo de liberação da vigilância sanitária, o que levaria o América a perder o jogo por WO, eliminando qualquer chance de classificação, hoje matemática, de passar para a Segunda Fase.

OLHO ABERTO
O estádio Tonicão, de Assis, passou por pintura recentemente, mas tem status preocupante na Federação Paulista de Futebol. Em todos os 5 itens avaliados o estádio que recebe jogos de Atlético Assisense e Vocem há liberação com restrição: Corpo de Bombeiros, Condições Sanitárias e de Saúde, Segurança e Vistoria de Engenharia. Ou seja, passar uma demão de tinta é esconder a precária situação do Tonicão debaixo do tapete. Estádio, como sustenta o blogueiro, eternamente inacabado.

TROCA NO APITO
Por motivos não justificados a Federação Paulista de Futebol procedeu a troca do árbitro que comandará o jogo Atlético Assisense x Tanabi, nesse domingo. Eduardo Pereira de Araújo terá a responsabilidade de fazer a gestão de um jogo que tem de tudo para ser truculento. Com 44 anos de idade, esse comerciário que é formado árbitro desde 2005 vem subindo no Ranking da Arbitragem da Federação. Fez 3 jogos na Série A-1 em 2015, todos como quarto árbitro.

TROCA NO APITO II
Quem estava escalado para o jogo desse domingo em Assis era Edson Reis Pavani Júnior que, como advertido pelo Blog, tem perfil de atuações contestadas, especialmente por consentir com jogadas violentas. A troca na arbitragem foi percebida por Luiz Carlos Japonês e destacada ao blogueiro nas redes sociais. Japonês tem o respeito do blogueiro, pois trata-se de um dos maiores apaixonados pelo futebol em Assis, sabendo distinguir razão e emoção. Torce apaixonadamente, sem ofender a outrem. 

TROCA NO APITO III
Veja, abaixo, como fica  a escala de arbitragem para Atlético Assisense x Tanabi:

quinta-feira, 30 de julho de 2015

LUAR COMO ESSE - Quem saiu, viu essa lua.


ARBITRAGEM - Contador e metalúrgico na arbitragem de Atlético Assisense x Tanabi

Cláudio Messias*

Que o trabalho dignifica o homem o capitalismo, com seus lemas, ratifica. Tal enunciado, cuja autoria é atribuída a autores diversos, na história, incide perfeitamente na expectativa de produção do trio que nesse domingo, às 10h00, atua no decisivo jogo Atlético Assisense x Tanabi, no estádio Tonicão, fechando a décima sexta rodada da Segundona 2015. Dignidade, pois, da arbitragem escalada pela Federação Paulista de Futebol. E cá vem um contador, um metalúrgico e um professor de educação física.

O torcedor do Falcão do Vale ainda tem engasgado o empate (1x1) de duas semanas atrás ante ao Fernandópolis, que teve interferência direta do árbitro Cássio Zancopé que, conforme resgatado pelo Blog, já havia aprontado das suas cá, no estádio da Fonte dos Amores, denominado por Carlinhos Perandré, naquele fatídico Assisense 1x2 Cotia, em 2013. Basta, pois, a arbitragem escalada ter dignidade, honrar os princípios que nortearam sua formação, e dentro de campo os times de Assis e Tanabi tendem a fazer suas partes.

A preocupação do blogueiro com a arbitragem tem um por quê. É que o visitante desse domingo é o Tanabi Quebra-canela, uma agremiação que tem batido, e muito, em seus adversários. Até a rodada do final de semana passado havia cometido 287 faltas e sido advertido com a aplicação de 50 cartões amarelos, recorde absoluto nessa temporada da Segundona. E se fez isso nas 16 primeiras rodadas, tende a agravar esse perfil de pancadas nesse domingo, uma vez que caso empate só terá chances remotamente matemáticas de classificar faltando duas rodadas para o encerramento da Primeira Fase. Afora isso, a rivalidade Assis x Tanabi, que remete a mais de três décadas.

A atribuição por controlar o ritmo de Atlético Assisense x Tanabi é do senhor Edson Reis Pavani Júnior, que é contador por profissão. Ele vem a Assis para ser auxiliado pelo metalúrgico Ademílson Lopes da Silva Filho, árbitro assistente 2, e Fabrício Porfírio de Moura, assistente 1, além de Jeferson Silvestrini, professor de educação física e quarto árbitro.

Edson Júnior tem 39 anos e é formado árbitro desde 2000. Em interação com outros blogueiros que igualmente dedicam espaço ao futebol profissional vem a informação de que o árbitro escalado para esse domingo tem perfil de consentimento a ações mais violentas por parte de jogadores. Por exemplo, ele atuou, em 2012, no jogo Corinthians 1x1 Bragantino, dia 5 de fevereiro, no Pacaembu. Sua atuação foi assim definida pelo blogueiro Sylvio Micelli: "No final, com uma arbitragem ruim e com a violência do adversário, o Corinthians empatou e conseguiu manter sua invencibilidade na competição. Claro que os anticorinthianos nada falarão sobre isso porque a eles, nossos prejuízos não interessam." (http://blog.sylviomicelli.jor.br/tag/edson-reis-pavani-junior/). Entende, agora, raro e exceto leitor, a razão da preocupação do blogueiro?

No currículo de Edson Júnior há, em 2015, somente 10 escalas. A mais recente delas foi justamente pela Segundona, dia 24 de julho, no jogo São Bernardo 2x1 ECUS. São três escalas na Segundona, duas na Série A-3, duas na Série A-2, nenhuma na A-1, uma no torneio Sub-20 e duas na Copinha São Paulo. Em 2014 e 2013, igualmente baixo o número de escalas: 19 e 21, respectivamente. Destaque, maior, como quarto árbitro na final da Copinha São Paulo do ano passado, que teve Corinthians 1x2 Santos, no Pacaembu.

Fabrício Porfírio de Moura traz a Assis um currículo que tem representatividade positiva. Foi, por exemplo, assistente 1, dia 20 de junho, no empate América 0x0 Tanabi. Ou seja, é sabedor do perfil batedor do Tanabi, uma vez que naquela ocasião, no estádio Teixeirão, o time cometeu 16 das 27 faltas do jogo e foi advertido com 4 dos 6 cartões amarelos do jogo. No início do ano Fabrício foi escalado para 10 jogos da Série A-1, dois da Série A-2 e quatro da Série A-3. Esteve, também, em jogos pelas Série B e C do Brasileirão.

Ademílson Lopes da Silva Filho cumpre a décima oitava escala do ano. Pela Segundona atuou em Olé Brasil 1x2 Elosport, dia 19 de abril, no estádio Palma Travassos, em Ribeirão Preto. Afora isso, duas escalas na Série A-2 e três na Série A-3. Os demais compromissos foram cumpridos nos torneios sub-20, 15, 13 e 11. Em 2013, esteve no jogo Grêmio Prudente 3x1 Atlético Assisense, realizado dia 3 de maio, no estádio Prudentão.

A palestra nos vestiários do Tonicão, nesse domingo, pode perfeitamente ser comandada pelo quarto árbitro Jeferson Silvestrini. Ele esteve, nessa mesma condição, no jogo do primeiro turno, vencido pelo Atlético Assisense (1x0) naquele 31 de maio, no estádio Alberto Victolo, em Tanabi.



* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

CONVOCAÇÃO - Família inteira no Tonicão, domingo, às 10h00


quarta-feira, 29 de julho de 2015

150 MIL ACESSOS

Quarta-feira, 29 de Julho de 2015, 16h22.

Agradecimento do blogueiro a você, raro e exceto leitor, que cá deposita credibilidade.



SEGUNDONA BRAVA - TJD pune Osvaldo Cruz com perda de mais 6 pontos

Cláudio Messias*

Pelo segundo ano consecutivo o Osvaldo Cruz termina de forma vexaminosa a disputa da Segunda Divisão do Campeonato Paulista. E da mesma forma: perda de pontos no Tribunal de Justiça Desportiva, o TJD. Dessa vez, porém, a situação é tão crítica que a cada sessão plenária do tribunal o clube do Oeste Paulista vê sua pontuação construída na competição sendo gradativamente esgotada.

Os motivos que levam o Osvaldo Cruz a perder pontos no TJD são relacionados a inscrição irregular de jogadores. Em crise financeira tornada pública justamente no dia de sua principal vitória, dentro de campo, nessa temporada (3x1 no líder Grêmio Prudente, dia , no encerramento do primeiro turno da Primeira Fase), o Azulão perdeu comissão técnica e parte do elenco logo em seguida, devido a pendências salariais. Até mesmo a rádio Difusora 1440 AM, local, interrompeu as transmissões dos jogos realizados no estádio Breno Ribeiro do Val, diante de um cenário amplamente criticado como sendo fruto de gestão longe do perfil profissional esperado.

No TJD a primeira punição aconteceu na sessão plenária do dia 13 de julho. O Osvaldo Cruz foi enquadrado no artigo 214 do Código Brasileiro Disciplinar, justamente relacionado a escalação de atletas não devidamente registrado na instituição competente, no caso, a Federação Paulista de Futebol. Isso, no jogo do dia 5 de julho, contra o Tanabi. Na ocasião, derrota pelo placar de 4x0 e o Osvaldo Cruz entrando em campo com exatos 11 jogadores, sem opção de banco de reservas. Desses, dois, apenas, foram listados com número de matrícula profissional na temporada 2015. Perda de 3 pontos do ativo, o que eliminou o clube de qualquer possibilidade de classificação para a Segunda Fase.

A última partida realizada pelo Osvaldo Cruz com a formação profissional inscrita na Federação ocorreu contra o Vocem, no empate em 1x1, dia 28 de junho, no estádio Breno Ribeiro do Val. Foi o encerramento do comando do técnico Gilmar Tadeu da Silva, que deixou o Azulão na sexta colocação do Grupo 1, então com 11 pontos, quatro atrás do Fernandópolis e a 8 pontos do Atlético Assisense, à época do primeiro a compor o G-4, em ordem crescente.

Com a perda de pontos do dia 13 de julho, no TJD, o Osvaldo Cruz caiu para de 12 para 9 pontos, mas manteve a oitava colocação na chave, à frente de José Bonifácio e Bandeirante. 

No entanto, nessa segunda-feira, 27 de julho, veio mais uma punição. Agora, o TJD analisou os jogos realizados dias 12 e 19 de julho, respectivamente nas goleadas sofridas ante Atlético Assisense (6x1) e América (5x0). Mais atletas irregulares, novo enquadramento no artigo 214 do CBJD e, então, seis pontos abatidos na classificação. Ou seja, tudo o que o técnico Gilmar Tadeu construiu dignamente, o clube está perdendo vergonhosamente no tapetão. E, pior, vem mais punição pela frente.

Agora o Osvaldo Cruz é o lanterna do Grupo 1, com apenas 3 pontos que ainda lhe restam. De todos os 30 clubes, é o pior em pontuação, mas não em desempenho. Antes da sessão plenária dessa segunda-feira o Azulão, com os 9 pontos que lhe sobravam, era o vigésimo sexto em produtividade. Agora, é o último.

Domingo passado o Osvaldo Cruz perdeu mais um jogo, dessa vez com placar reduzido de 2x0, para o José Bonifácio. Novamente, apenas 3 jogadores foram listados como portadores de registro profissional. Na comissão técnica um nome novo: Marco Antônio Ciriaco, que substituiu Alexandre Narbal de Souza após a derrota para o Tanabi (4x0), que resultou na primeira punição. Ciriaco deve, ainda, testemunhar a perda de mais três pontos, desse jogo do domingo passado, assim como, pela tendência, dos três confrontos que ainda restam ao Azulão até o encerramento da Primeira Fase.



* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.


terça-feira, 28 de julho de 2015

RANKING DAS BILHETERIAS - Inter de Bebedouro fecha julho arrecadando R$ 75,5 mil

Cláudio Messias*


A Inter de Bebedouro continua estacionada com a terceira melhor campanha do Grupo 2 da Segundona 2015, mas, no quesito público pagante, é a melhor entre as 30 equipes que disputam o certame. Cada jogo disputado no estádio Sócrates Stamato é sinônimo de recorde de público e, principalmente, dinheiro em caixa para a agremiação.

Nesse domingo, 2.412 torcedores pagaram preços que variaram de R$ 15 a R$ 40 para ver o empate sem gols no derby regional com o São Carlos. Só no setor de arquibancada geral foram comercializados 1.702 ingressos ao preço inteiro de R$ 15. Meia-entrada, naquele setor, teve 557 ingressos vendidos.

A Inter de Bebedouro arrecadou, nesse domingo, R$ 31.537,00, ante despesas de R$ 4.211,00 e, assim, renda líquida de R$ 27.326,00. Só no mês de julho a agremiação levou 6.563 pagantes ao estádio Sócrates Stamato, com renda líquida total de R$ 73.575,00. Só com bilheteria a Inter arrecadou, em três jogos mandados, o equivalente à soma de cotas mensal de patrocínio de muitos clubes que hoje brigam por vaga direta nos três G-4 da Segundona.

Igualmente impressionante é o comportamento da torcida do Amparo, clube que iniciou bem a temporada 2015 da Segundona mas, depois de perder pontos no tapetão do TJD, caiu de produção e há duas semanas está sem chances matemáticas de passar para a Segunda Fase. Mesmo assim, segundo melhor público da 15.a rodada veio do estádio José de Araújo Cintra, em Amparo. Lá, 330 torcedores pagaram ingressos cujos preços foram fixados em R$ 10. Arrecadação de R$ 3.175,00, despesas totais de R$ 2.033,00 e renda de R$ 1.141,00. Amparo, hoje, tem o quinto melhor desempenho em bilheteria na temporada.

Mais uma vez o Vocem não repetiu a boa média de público do primeiro turno. Levou seu pior público na temporada na vitória (4x1) sobre o América, domingo, no estádio Tonicão. Ao todo, 188 torcedores pagaram R$ 15 pela entrada inteira, proporcionando arrecadação de R$ 1.680,00 que, descontada a despesa total de R$ 811,70, resulta em renda líquida de R$ 868,30. Time de Assis, ainda assim, é o terceiro em público na temporada.

Na parte de baixo do Ranking das Bilheterias apareceu, na rodada, o Suzano. Somente 10 torcedores pagaram ingressos para ver a vitória (1x0) sobre o Diadema, domingo, no estádio Francisco Marques Figueira. Arrecadação de R$ 65,00, despesas milagrosas de R$ 3,50 e renda de R$ 61,50, para pagar a Kombi.

Média - Somados todos os 225 jogos já realizados pela Segundona 2015 a média de público da temporada é de 456 pagantes por jogo. A rodada do final de semana passado voltou a apresentar boa média, impulsionada pelo recorde batido pela Inter de Bebedouro: 591,5 pagantes por jogo, o melhor desse returno da Primeira Fase.

Ao todo, 56.335 torcedores passaram pelos setores de bilheterias dos estádios que sediam jogos da Segundona. Inter de Bebedouro colocou, no total, 11.277 pagantes,mais que o dobro do público alcançado pelo Grêmio Prudente: 5.231. O pior desempenho continua sendo do Diadema, que até aqui convenceu somente 166 pessoas a pagar ingressos para ver seus jogos mandados.









* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

ANÁLISE - O devido cuidado que Tanabi e América merecem de quem está no G-4

Cláudio Messias*

Olhar para a tábua de classificação do Grupo 1, passadas 15 rodadas da Segundona 2015, demanda, naturalmente, entender como tarefa fácil enfrentar as agremiações que estão fora do G-4, o seleto grupo de clubes que avançaria para a Segunda Fase do torneio. Mas, nem sempre um clube já eliminado está, na prática, passível de ser derrotado. Basta mirar a classificação dividida por turnos.

O returno da Segundona tem, até aqui, 6 rodadas disputadas, de 9 possíveis. Se forem considerados somente esses últimos seis resultados a classificação do Grupo 1 muda a configuração. Trata-se, obviamente, de uma situação surreal, se comparada à trajetória total do campeonato. Porém, representa um cenário ameaçador se considerada a perspectiva de crescimento de produção de quem ainda não havia engrenado no torneio.

A classificação somente do returno tem um G-4 bem diferente do atual. O líder isolado é o Noroeste, com 12 pontos. O vice-líder é o Atlético Assisense, com 11 pontos. Mas a surpresa fica com os terceiro e quarto lugares, respectivamente ocupados por, quem diria, Tanabi e América, que ultrapassam em aproveitamento Fernandópolis, Grêmio Prudente e Vocem.

Esse cenário totalmente diferente da briga por vaga no G-4 da chave advém de uma inversão de campanhas ocorrida justamente na virada do primeiro para o segundo turno. Queda vertiginosa de produção do Osvaldo Cruz, que perdeu jogadores, comissão técnica, torcida e todos os tipos de apoio. E uma recuperação estrondosa do Atlético Assisense, que até a semana passada tinha a melhor campanha entre os 30 clubes da temporada, no returno.

Atlético Assisense, pois, precisa ficar atento nessas três últimas rodadas. Isso porque enfrenta Tanabi e América, donos de duas das quatro melhores campanhas do returno, até o fechamento da Primeira Fase. Falcão do Vale precisa somar mais 4 pontos para, no confronto de campanhas com Vocem e Fernandópolis, garantir passagem para a próxima e decisiva fase. E seria óbvio entender que o jogo do próximo domingo, contra o Tanabi, no Tonicão, poderia representar 3 desses quatro necessários pontos. Pode não ser, diz a campanha recente do adversário.

Fora da zona de classificação e podendo ser eliminados definitivamente já na próxima rodada, caso sejam derrotados, Tanabi e América vivem momento de altos e baixos. O primeiro tem, hoje, 19 pontos no total e ocupa a sétima colocação na chave. Já o América tem um ponto e uma posição a mais. Tanabi, como já dito, visitando o Atlético Assisense, em Assis, no domingo, enquanto o América tem oportunidade de fazer saldo de gols ante ao Bandeirante, em Rio Preto.

Na sequência, Tanabi indo a Birigui enfrentar o Bandeirante, América visitando o Fernandópolis. E, por fim, Tanabi visitando o Noroeste, América recebendo o Atlético Assisense. Caso consigam manter a tendência desse returno, um dos dois clubes pode, sim, continuar vivo na disputa pela quarta vaga do Grupo 1, desde, claro, que vença o confronto desse próximo final de semana.



* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

CLASSIFICAÇÃO GERAL - Acirra briga por vagas nos G-4 da Segundona

Cláudio Messias*

Chegou o momento em que os clubes em condições de brigar por vaga na Segunda Fase da Segundona 2015 são, também, aqueles que entram na briga direta pelo acesso à Série A-3 de 2016. Na Classificação Geral gestada pelo Blog aparecem, claramente, dois blocos. O primeiro, dos clubes que somam de 29 a 33 pontos e, hoje, estão virtualmente classificados. O outro bloco, composto igualmente por 6 clubes, tem agremiações com condições matemáticas para se dizerem com chances de avançar.

Os seis primeiros colocados da Classificação Geral são os clubes com melhor aproveitamento passadas 15 rodadas. Teoricamente, quando disputarem a Segunda Fase terão condições de brigar na situação de favoritos quando cruzarem com agremiações advindas de outros grupos. Vale ressaltar que a Segundona 2015 está distribuída em 3 grupos, cada um com 10 clubes. Doze deles passam para a próxima fase, daqui a três semanas.

Com a vitória, em Leme, na rodada passada, o Olímpia voltou a assumir a condição de melhor clube da Segundona em 2015. Está dois pontos à frente do Grêmio Prudente, que com o empate frente ao Atlético Assisense parou nos 31 pontos, mesma soma de São Carlos e São Bernardo. Dentro de campo, porém, o Jabaquara, punido com perda de pontos  no TJD durante o certame, divide com o Olímpia a condição de melhor clube. Juntos, os dois totalizam 10 vitórias. Nessa tropa de elite sobra somente o Noroeste, que com 29 pontos está fora do padrão de pontuação daqueles que o blogueiro define como favoritos na briga pelo acesso.

O bloco intermediário de clubes que avançariam para a Segunda Fase mas suariam sobremaneira as camisas para, na reta final, ter condições de ficar com uma das 4 vagas na Série A-3 estão, inicialmente, Inter de Bebedouro e Atlético Assisense, respectivamente com 28 e 27 pontos. Pesa a favor do time de Assis o fato de, pela quarta rodada consecutiva, deter o melhor ataque da temporada, com 31 gols marcados. É do Falcão do Vale, por exemplo, o artilheiro isolado do torneio: Aguiar, com 11 gols.

Elosport, Vocem, Lemense e Olé Brasil figuram um grupo terciário que ainda depende de resultados positivos na décima sexta rodada, no final de semana que vem, para confirmar suas presenças nos G-4 de seus respectivos grupos. Podem, portanto, entrar na Segunda Fase em ritmo aquém do que está sendo apresentado pelo pelotão composto pelos clubes que ocupam da primeira (Olímpia) à oitava (Atlético Assisense) colocações. Isso, claro, desconsiderando que haverá reabertura da janela de contratações, em agosto, de maneira que todas as agremiações classificadas para a Segunda Fase possam reforçar seus elencos.

Na parte de baixo da tábua de Classificação Geral a décima quinta rodada não produziu eliminados. Continuam sendo 8 os clubes sem condições matemáticas de briga por vaga na reta final: José Bonifácio, Amparo, Palmeirinha, Osvaldo Cruz, Desportivo Brasil, Barcelona, Bandeirante e ECUS. Mas, passada a próxima rodada, faltando somente 6 pontos em disputa, agremiações como Tanabi, América e Fernandópolis precisam somar 3 pontos para não ver as chances matemáticas desaparecerem no Grupo 1. O mesmo acontece com o Diadema, no Grupo 3, que está a 7 pontos dos clubes que empatam em pontuação na quarta colocação da chave: Portuguesa Santista, Mauaense e Manthiqueira.

As situações mais cômodas de disputa pelas últimas vagas nos G-4 estão nos Grupo 1 e 2. Vocem e Fernandópolis fazem duelo direto pela quarta vaga do Grupo 1, enquanto Olé Brasil, Lemense e Elosport disputam a última vaga do Grupo 2. Mas, no Grupo 3 o bicho pega feio. Manthiqueira, Mauaense, Portuguesa Santista, Suzano, Guarulhos e Diadema têm condições, nas três próximas rodadas, de ficar com uma das 4 vagas. E é justamente de lá, daquela chave, que sai o único clube até agora matematicamente classificado para a Segunda Fase, ou seja, o São Bernardo. Incoerências de uma Segundona que só não é completamente fascinante porque tem um Regulamento questionável.

E já que o assunto é incoerência, as 12 melhores campanhas da Segundona 2015 continuam não representando os três G-4 do certame. Olé Brasil e Lemense, por exemplo, são, respectivamente, sexto e quinto colocados no Grupo 2, mas aparecem com campanhas que no cômputo geral lhes dariam vaga na próxima fase. De forma oposta, Taboão da Serra e Manthiqueira, terceiro e quarto colocados do Grupo 3, estão no G-4 do Grupo 3, porém têm somente a décima terceira e a décima quinta posições na Classificação Geral.

  Simulação   - Cumprindo o que foi anunciado na postagem da semana passada o blogueiro, agora, começa a simular a composição dos dois grupos da Segunda Fase. No cruzamento de colocações dos 3 grupos atuais o Grupo 4 seria formado por Grêmio Prudente, São Bernardo, São Carlos, Inter de Bebedouro, Vocem e Manthiqueira. Já o Grupo 2 teria composição de Olímpia, Noroeste, Jabaquara, Atlético Assisense, Taboão da Serra e Elosport.









* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.

domingo, 26 de julho de 2015

EU, DA ESCUTA - A rodada que teve OVNI sobre estádio em Bebedouro


POEIRA SACUDIDA
Sérgio Caetano já voltou à ativa. O ex-treinador de Atlético Assisense e Vocem teve imagens veiculadas nas redes sociais no decorrer da semana. Mais um trabalho com clube que já esteve na elite do futebol, não só paulista, mas nacional. Projeto para 2016.

CRAQUE
Os amigos de imprensa esportiva de Presidente Prudente pediram informações sobre Aguiar, atacante do Atlético Assisense. Concordam com o blogueiro de que o menino nascido em Bauru lembra, e muito, Kaká. Cronistas esportivos boquiabertos com o vigor físico do artilheiro da Segundona até aqui.

MENINÃO
A família de Aguiar interagiu, durante o jogo Grêmio Prudente 1x1 Atlético Assisense, com a equipe esportiva da rádio Comercial 1440 AM, sábado. Via internet, até o sogro do atacante mandou mensagens, diretamente de Bauru. Sucesso total da equipe de radialistas comandada pelo competente Gésner Dias.

CONSENSO
Tanto na transmissão da Comercial AM, de Prudente, quanto na da 87,9 FM, de Bauru, é fato que Grêmio Prudente e Noroeste são líder e vice-líder deixando, e muito, a desejar. Se vencem - como foi o caso do Norusca em Birigui, na sexta-feira -, não convencem. Mas, o que é mais importante, seguem. E estão praticamente na Segunda Fase. Nas duas transmissões do final de semana coincidiu de as emissoras concordarem que além dos times de Bauru e Prudente, o Atlético Assisense é o que tem mais futebol para ficar em terceiro no Grupo 1. Ninguém, porém, arriscou a sorte em apontar quem será o quarto na chave.

PROFISSIONAL
Reencontro, como sempre, agradável com o prefeito dos 15 mil votos, na sexta-feira. Apreciadores em comum de peixe como cardápio às sextas, o chefe do executivo e o blogueiro coincidiram as rotas indo ao Cabana, na Orozimbo Leão de Carvalho, almoçar. Papo rápido e tão agradável quanto a comida desse ponto comercial que Assis ainda carece valorizar. E o que tem a ver, nisso, com esporte: vem novidade aí, em agosto, sobre o estádio Tonicão.

QUASE
Nessa semana o Blog completa 150 mil acessos individuais, três semanas depois de atingir 1 milhão de visualizações de páginas. E, como prometido, o blogueiro anunciará em postagem específica a forma pela qual os visitantes mais assíduos poderão enviar endereço postal para recebimento, via Correios, posterior, de um brinde alusivo à centena e meia de milhar de acessos. Souvenir virá de Campina Grande, em agosto. A conferência de assiduidade de acessos será feita mediante consulta ao Google Analytics.

PRESSA
A assessoria de imprensa da Federação Paulista de Futebol tem sido um tanto apressada para classificar antecipadamente clubes para a Segunda Fase da Segundona. Uma semana atrás era o São Bernardo que avançaria. E a classificação só veio nesse final de semana. Sexta-feira passada seriam quatro os 'novos' classificáveis. Nenhum chegou.

ARITMÉTICA
Os questionamentos sobre os números que levam um clube a conquistar vaga na fase seguinte ocorrem sobre os prognósticos do blogueiro desde 2013. E fazer as contas independe da competição envolvida. Só não dá para estabelecer pontuação mínima, de classificação, igual para todos os grupos em disputa. Em 2015, por exemplo, cada uma das 3 chaves em disputa dispõe de um patamar mínimo para garantir vaga.

NÉ?
Àqueles que ironizam e fazem dos prognósticos pauta para se passar por engraçados à laia, uma recomendação: buscar nos arquivos do Blog os prognósticos anteriores. E conferir que tanto os acessos quanto as anunciadas frustrações de determinados clubes fizeram parte de análises críticas, detalhadas, por essas páginas postadas. E não se trata de prever. Trata-se de evidenciar a realidade através do desempenho de cada agremiação.

MEA CULPA
O blogueiro divulgou que o Bandeirante jogou sem reserva contra o Noroeste na sexta. Errou. Caíque, que é goleiro mas tem sido utilizado na linha, foi para o gol. Alef ficou na reserva, e entrou no segundo tempo. E o Noroeste não procedeu as três alterações a que tinha direito. Fez duas substituições.

FORA
O árbitro Cássio Zancopé, que interferiu no resultado de Atlético Assisense 1x1 Fernandópolis, não teve o nome relacionado no sorteio realizado realizado na quarta-feira, 22 de julho. Ficou, pois, fora da décima quinta rodada.

QUE FASE!
Amigos de imprensa de Rio Preto informaram que o América está sem estádio para mandar seus jogos nessa reta final da Primeira Fase. A Federação Paulista de Futebol determinou a interdição do Teixeirão, por um motivo estranho: falta de laudo de vistoria da vigilância sanitária. Vale ressaltar que os estádios são liberados antes do início das competições, mediante comprovação documental da regularidade de cada praça esportiva. Daí, pois, a estranha decisão de interditar o Teixeirão a essa altura, depois de tantos jogos em que árbitros chegaram a relatar, por exemplo, as péssimas condições do gramado e até a falta de demarcação das linhas.

TOMOU?
O confronto Mauaense 0x2 Portuguesa Santista, sábado pela manhã, fugiu do horário tradicional da Rede Vida de Televisão. Logo, a afirmação feita na coluna anterior, pelo blogueiro, de que Atlético Assisense e Vocem não teriam jogos transmitidos pela emissora católica em 2015, não procede. Bastaria a Rede Vida determinar, via Federação, que um jogo de um dos dois clubes de Assis ocorra, por exemplo, em sábado pela manhã.

BATALHA
O jogo Lemense 0x3 Olímpia teve 9 advertências com cartões amarelos. O time mandante, de Leme, recebeu 6 punições. Jogo com 32 faltas, 18 das quais cometidas pelo Lemense, mas ainda assim, recorde de bola rolando: 67 minutos no controle do árbitro Sílvio Renato Silveira.

CARRETO INGRATO
Um dos maqueiros do jogo em Leme quis ser mais engraçado que a piada. Empurrou e derrubou jogador do Olímpia, aos 90 minutos de bola rolando, e foi expulso. Está na súmula do árbitro Sílvio Renato Silveira e deve render pauta no TJD.

TOROÇO
O árbitro Alessandro Darcle não gostou nada da definição feita por um membro da comissão técnica da Portuguesa Santista durante a vitória sobre a Mauaense e com transmissão ao vivo pela Rede Vida. No início do segundo tempo, expulsou o cidadão, por reclamar acintosamente das marcações. E ouviu como complemento a definição: "você é um bosta". Depois, no final do jogo, o mesmo bocudo teve a coragem de invadir o campo de jogo, sendo forçadamente retirado.

PEDAGOGIA DO OPRIMIDO
O jogo Desportivo Brasil 4x1 Barcelona, sábado, foi uma aula de violência para o jogador Igor, do time mandante. Aos 88 minutos de bola rolando ele levou um chute nas costas, desferido por Eduardo, do Barcelona, expulso imediatamente pelo árbitro Marcos César Philomeno. Um minuto depois, foi a vez de o próprio Igor ser expulso, por ter dado um tranco nas costas de Mílton, do Barcelona. Aprende rápido o garoto! E o oprimido de agora será o opressor de daqui a pouco.

DESFALQUE
O confronto Suzano 1x0 Diadema atrasou 20 minutos. Motivo: ausência de ambulância no estádio Francisco Marques Silveira, em Suzano.

BATATA
O árbitro seguiu à risca o português literalmente vulgar utilizado por um gandula do jogo Grêmio Prudente 1x1 Atlético Assisense, sábado, no Prudentão. Expulso aos 30 minutos do segundo tempo, o repositor de bolas teria, de acordo com o árbitro, falado o seguinte para o jogador Magno, do Falcão do Vale: "vai joga filho da put* e vai toma no seu c*". E mesmo depois de expulso o show de 'delicadezas' continuou: "vagabundo, vai tomar no c*, vou ti pegar no fim da partida". Tudo assim, com precisão na falta de concordância, quase um roteiro de peça teatral.

AUSÊNCIA TOTAL
A coisa não está, mesmo, boa para os lados do estádio Breno Ribeiro do Val. Depois da falta de contato com o quarteto de arbitragem no jogo Osvaldo Cruz 1x6 Atlético Assisense, agora um novo indício de que aquele estádio continua sem serviço de internet. Em plena noite de domingo ainda não foi lançada a súmula da partida de hoje, vencida pelo José Bonifácio (2x0). Essa postagem é feita imediatamente após o final dos jogos, via de regra nos vestiários.

  ÁGUA?  
Carece de análise laboratorial o líquido que o árbitro Daniel Bernardo Serrano diz ser água, lançado sobre o banco de reservas do Fernandópolis nessa manhã de domingo, no estádio Alberto Victolo, em Tanabi. A tal da água, que com certeza passarinho ou ser vivo algum beberia, foi arremessada pela torcida do Tanabi, aos 35 minutos do segundo tempo. Policiamento acionado, jogo não paralisado, caso relatado em súmula e lá vai o Tanabi para o TJD.

REDIMIDO
O Tanabi venceu o Fernandópolis e teve algo que surpreendeu mais do que o próprio placar de 3x2: o número de faltas. Equipe mais faltosa da Segundona 2015, dessa vez cometeu somente 12 infrações. Como o Fernandópolis cometeu outras 10 faltas, a partida foi a menos faltosa da rodada. E, para não fugir da regra, claro que o Tanabi teve um jogador expulso: Leandro, logo a 35 minutos, quando o Fernandópolis vencia por 1x0. Em tempo: o Tanabi vencu de virada, por 3x2.

MENOS É MAIS
Amparo x Olé Brasil entraram em campo, nesse domingo, com apenas quatro opções de banco de reservas. Um goleiro e três jogadores de linha para cada um dos treinadores. Amparo fez duas substituições e o Olé Brasil, uma. Time da casa, que já foi líder do Grupo 2, perdeu mais uma, em casa, agora por 2x1.

OVNI
Os jogos realizados no estádio Sócrates Stamato, em Bebedouro, têm rendido histórias estranhas. A mais recente delas ocorreu nesse domingo, no clássico da Inter com o São Carlos, pelo Grupo 2. De acordo com o árbitro Daniel Destro do Carmo, aos 12 minutos de bola rolando um objeto voador não identificado sobrevoou o gramado. E por duas vezes. Mas, não eram ETs. O aparelho era, na realidade, um drone. Ao menos é isso o que garante o árbitro

OVNI II
O que não dá para entender é o por quê de o árbitro ter registrado a aparição do drone, em súmula. Afinal, na descrição dele próprio, "o objeto não interferiu na partida e em seguida não foi mais visto". Para completar a lambança o árbitro ainda completou: "não pude identificar quem foi o responsável pelo objeto". Que medo!

OBJETO FALANTE IDENTIFICADO
No intervalo de jogo no estádio Sócrates Stamato Daniel Destro do Carmo recebeu, digamos, uma visita ingrata. Não, não era o dono do drone. Era um diretor da Inter de Bebedouro, que entregou-lhe o boletim financeiro, não sem antes dizer, aparentemente de forma educada: "você está sem critério". O cidadão foi convidado a se retirar, mas fica a dúvida: realmente, um árbitro que relata aparição de drone em súmula tem critério?

   É O FIM   
Terminado o jogo, sem gols, entre Inter de Bebedouro x São Carlos, eis que o técnico do time da casa também foi conversar com o árbitro, ao final do jogo. Claro, Olímpio Batista Ferreira Júnior foi parar na súmula. De acordo com o árbitro, o treinador "foi ao vestiário para nos cumprimentar, de forma respeitosa, saindo instantes depois". Enganou-se quem pensou que o técnico mandante ficou para o almoço.

CLAP, CLAP
Rodada de destaque para figuras que fazem parte do espetáculo e via de regra não aparecem nos jogos da Segundona. No estádio de Espanha, na capital, nesse domingo, durante o jogo Jabaquara 2x0 Guarulhos, foi a vez de o massagista do time visitante parar na súmula. Tudo porque aos 25 minutos do primeiro tempo ele, mesmo depois de ter sido advertido verbalmente pelo árbitro Rodrigo Pires de Oliveira, persistir na contestação das marcações feitas. A gota d´água foram os aplausos do massagista a uma marcação do árbitro. Sim, têm coisas que irritam mais do que palavras.

  NOTA    DEZ   
Para os dois clubes de Assis, que hoje figuram no G-4 e têm mais de 60% de chances de garantir vaga na Segunda Fase.

 NOTA    ZERO 
Não há assunto em pauta que justifique, nessa rodada, esse status.

FIM DE JOGO - Vocem atropela o América e tira o Fernandópolis do G-4

Cláudio Messias*

Os resultados finais de dois dos três jogos que nesse domingo encerraram a décima quinta rodada da Segundona 2015, Grupo 1, foram avassaladores para os planos de Vocem e Fernandópolis. O time de Assis protagonizou estreia com vitória do técnico Tupãzinho no estádio Tonicão, aplicando convincentes 4x1 sobre um América que, agora, precisa de milagre para continuar sonhando com vaga na Segunda Fase. Já o Fernandópolis chegou a estar ganhando do Tanabi, na casa do adversário, porém permitiu uma virada que igualmente pode custar o projeto de avançar na competição.

Os dois jogos foram para os intervalos empatados, coincidentemente, em 1x1. Em Assis, Samuel fez o primeiro gol aos 6 minutos, para o Vocem, mas o América empatou imediatamente depois, aos 8 minutos, com Sidney. Em Tanabi, no estádio Alberto Victolo, Guilherme Pitty anotou aos 22 minutos, pelo visitante Fernandópolis, e Gean empatou aos 45 minutos.

No segundo tempo uma chuva de gols. Samuel, cobrando pênalti, colocou novamente o Vocem na frente, aos 21 minutos finais. Guilherme ampliou no final, aos 44 minutos e, nos acréscimos, Léo deu números finais ao jogo aos 46 minuitos: 4x1. Em Tanabi, Henrique Coelho fez o segundo gol do Fernandópolis, aos 26 minutos finais, mas três minutos depois Jefferson empatou tudo de novo: 2x2. O terceiro gol do Tanabi, na virada definitiva do placar, o placar online da Federação Paulista de Futebol não denomina autoria.

Houve, ainda, mais um jogo pelo Grupo 1. Em Osvaldo Cruz, o José Bonifácio fez com os donos da casa o confronto dos eliminados. Os visitantes fizeram 2x0, gols de Luccas, aos 22 minutos iniciais, e Júlio, cobrando penalidade, aos 42 minutos finais. Na tabela, José Bonifácio ultrapassa o Osvaldo Cruz, assumindo a oitava colocação, com 11 pontos, insuficientes para alcançar o agora quarto colocado Vocem, que tem 26.

Nos cálculos dos clubes que estão brigando por vaga no G-4 o Vocem foi o único, na rodada, a vencer. Chega aos 26 pontos e encosta no terceiro colocado Atlético Assisense. Mas, um passo de cada vez, o time de Assis tem, na realidade, que comemorar a derrota do Fernandópolis no derby contra o Tanabi, pois tira dele a quarta colocação e, ainda por cima, abre três decisivos pontos de vantagem.

Já a derrota do Fernandópolis praticamente garante o Grêmio Prudente na Segunda Fase. De três jogos que ainda lhe restam, o time prudentino passa a depender de apenas uma vitória ou, então, dois empates para planejar o que fará entre os 12 clubes que decidirão as 4 vagas na Série A-3 de 2016. Grêmio que no próximo final de semana duela com o Vocem, no estádio Prudentão, em Presidente Prudente, naquele que é considerado um dos três principais confrontos da décima sexta rodada.


Hoje com 31 pontos e a 7 pontos de diferença em relação ao Fernandópolis, o Grêmio Prudente, caso chegue a 32 pontos em eventual empate com o Vocem, ainda poderá ser superado pelo Fefecê nas duas últimas rodadas, pelo critério de número de vitórias. Mas, tem na sequência o José Bonifácio, fora de casa, podendo igualmente administrar o empate para festejar a classificação com uma rodada de antecedência, ao passo em que o Fernandópolis receberá o América ainda, possivelmente, com chances matemáticas.

O Fernandópolis vê momentaneamente o projeto de 2015 ameaçado. Mas, tem uma sequência de jogos, nas três últimas rodadas, que permite recolocar a cabeça no lugar. Fefecê, no próximo final de semana, recebe o eliminado Osvaldo Cruz, com oportunidade de não só somar 3 pontos na rodada em que o rival Vocem visita o Grêmio Prudente, mas equilibrar novamente os fatores gols marcados e saldo de gols, respectivamente critérios diretos de desempate segundo o Regulamento da Segundona. Hoje, Fernandópolis e Vocem empatam nos critérios número de vitórias e gols marcados, mas o time de Assis soma 26 pontos, ante 23 do rival, e ainda apresenta saldo de gols de 11 tentos positivos, já que o Fefecê sofreu um gol a mais (13).

Atlético Assisense e Noroeste veem a briga pela quarta em situações distintas. O time de Bauru assumiu a vice-liderança nessa décima quinta rodada e encostou no líder Grêmio Prudente. Um tropeço do Grêmio frente ao Vocem pode significar liderança ao Noroeste caso esse confirme a lógica e vença o eliminado José Bonifácio, em Bauru. Grêmio e Noroeste têm as mesmas 9 vitórias e em eventual empate ou derrota o Grêmio observaria o rival de Bauru igualar ou passar sua pontuação, favorecido pelo critério de desempate "número de vitórias".

Já o Atlético Assisense colhe, no momento, os frutos da excelente campanha que faz nesse returno da Primeira Fase. Terceiro colocado no Grupo 1, está um ponto à frente do Vocem e pode planejar com sapiência o caminho para a classificação, favorecido pela derrota do Fernandópolis, que por sua vez ficou 4 pontos atrás. De três jogos que tem pela frente, o Falcão do Vale continua dependendo de uma vitória e um empate. Recebe o Tanabi no próximo final de semana e depois tem o derby contra o Vocem, no Tonicão. Em eventual tropeço trágico do Fernandópolis no próximo final de semana, frente ao Osvaldo Cruz, o Atlético Assisense carimba a classificação vencendo o Tanabi.

América e Tanabi respiram por aparelhos as chances de classificação. Dependem de uma combinação de resultados que representaria virada histórica de tendências dessa Segundona. O time de Rio Preto precisa vencer o Bandeirante, na próxima rodada, e depois bater o Fernandópolis na casa do adversário e, enfim, o Atlético Assisense, na última rodada. Além disso, tem de secar o Vocem contra o Grêmio Prudente, torcer pelo Atlético Assisense no derby com o Vocem e, dependendo das circunstâncias, rezar por um empate no confronto Vocem x Fernandópolis, no encerramento do returno.

O Tanabi tem que vencer os três jogos restantes, a começar pela difícil tarefa de bater o Atlético Assisense, domingo que vem, em Assis. Depois, manter a lógica e bater o Bandeirante, em Tanabi, e encerrar a fase vencendo o Noroeste, em Bauru. Afora isso, depender de tropeços de Vocem, Fernandópolis e América em todas as três rodadas restantes.



* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.


SITUAÇÃO DE MOMENTO - Empates em Assis e Tanabi adiam definições no Grupo 1

Cláudio Messias*

Três jogos encerram, nessa manhã de domingo, pelo Grupo 1, a décima quinta rodada da Primeira Fase da Segundona 2015. Dois deles envolvem briga direta pela quarta vaga da chave no G-4, que dá classificação para a Segunda Fase.

Vocem x América, em Assis, e Tanabi x Fernandópolis, em Tanabi, são confrontos que envolvem 4 agremiações com condições matemáticas de ficar com a quarta vaga. Os dois confrontos, nesse momento, estão empatados pelo mesmo placar de 1x1. Jogos no segundo tempo.

No estádio Tonicão, em Assis, de acordo com o placar online da Federação Paulista de Futebol, o Vocem abriu o placar aos 6 minutos, com Samuel. O América empatou na sequência, aos 8 minutos, com Sidney.

Em Tanabi o Fernandópolis saiu primeiro na frente, com Guilherme Pitty, aos 22 minutos iniciais. Gean empatou aos 45 minutos.

Com esses dois resultados a classificação do Grupo 1 continua a mesma. Fernandópolis quarto colocado, Vocem quinto. E América e Tanabi ainda sobrevivendo à base de uma matemática complicadíssima.

No terceiro jogo da décima quinta rodada o José Bonifácio, já eliminado, vence o igualmente desclassificado Osvaldo Cruz por 1x0. Gol de Luccas aos 22 minutos iniciais.



* Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.