Jovem Pan Online - RSS

sábado, 31 de maio de 2014

FIM DE JOGO - Osvaldo Cruz dá recado ao PPFC: não adianta tapetão

Cláudio Messias*

De nada adiantará, na segunda-feira, o Tribunal de Justiça Desportiva tirar 3 pontos do Osvaldo Cruz na partida do primeiro turno, contra o Presidente Prudente, em Osvaldo Cruz (2x0). Mesmo com essa decisão, movida em denúncia do time prudentino por registro irregular de jogador, o PPFC estará eliminado, pois na noite desse sábado sofreu a segunda derrota no confronto direto, dessa vez em pleno estádio Prudentão. Agora, o máximo que o Presidente Prudente pode somar, dentro de campo, são 9 pontos, e pelo TJD, 12 pontos, ou seja, pontuação insuficiente para brigar por uma vaga na Segunda Fase.

O confronto dessa noite, no Prudentão, terminou Presidente Prudente 1x3 Osvaldo Cruz. Os visitantes fizeram 2x0 no primeiro tempo, ampliaram para 3x0 no início da etapa complementar, mas viram um esboço de reação do mandante, que reduziu para 3x1. Mas, ficou nisso.

Com o resultado, o Osvaldo Cruz tirou a terceira colocação do Bandeirante, de Birigui, pelo saldo de gols e pelos gols marcados. Com isso, independentemente do que decidirá, semana que vem, o Tribunal de Justiça Desportiva (perda de 6 pontos pelo time de Osvaldo Cruz), caso o Bandeirante tropece na última rodada diante do Grêmio Prudente e o Atlético Assisense vença o Presidente Prudente por diferença de dois gols, o time de Assis assume a quarta colocação do grupo 1. Situação, essa, que ainda pode ser apimentada por uma eventual derrota, amanhã, no Tonicão, do Vocem perante ao Grêmio Prudente.

No saldo geral, Atlético Assisense ainda vivo na disputa por uma vaga na Segunda Fase. Bandeirante preocupado, Osvaldo Cruz temendo o TJD e o Vocem a um empate de garantir-se na próxima fase. Que a classificação aconteça independentemente do TJD.



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.

SITUAÇÃO DE MOMENTO - Osvaldo Cruz vence no Prudentão e rebaixa Bandeirante

Cláudio Messias*

É, realmente, uma pena que o futebol seja decidido no tapetão. Digo isso porque dentro do gramado a Segundona 2014 tem reservado fortes emoções nessa reta final da Primeira Fase. Exemplo caro disso é o jogo que rola, nesse momento, no estádio Prudentão, em Presidente Prudente. Lá, o time homônimo da cidade recebe o Osvaldo Cruz e comprova que não tem condições de avançar no torneio. Os visitantes vencem por 2x0 e mantêm viva a chama da classificação, assumindo, no momento, a terceira colocação no grupo 1.

O Osvaldo Cruz domina totalmente o jogo. Ouço a partida pela rádio Comercial AM, em cadeia com a rádio Clube 750 AM. Eduardo e Vítor fizeram os dois gols dos visitantes, antes dos 37 minutos iniciais. Situações adversas, pois o Osvaldo Cruz entrou em campo sonhando com a classificação, enquanto o PPFC já está eliminado de qualquer possibilidade de classificação. Com os 3 pontos parciais, os visitantes dessa noite, no Prudentão, chegam aos 13 pontos e rebaixam o Bandeirante para a quarta colocação, pelo saldo de gols e, consequentemente, pelos gols marcados.

Esse resultado faz com que o Atlético Assisense mude o foco. Agora, em vez de secar o Osvaldo Cruz, o time de Assis passa a ficar de olho  no desempenho do Bandeirante, a quem venceu ontem, na rodada do final de semana que vem. Na última rodada, o Bandeirante vai a Presidente Prudente enfrentar o Grêmio Prudente, líder absoluto da chave e classificado para a Segunda Fase desde a semana passada. Uma derrota do Bandeirante e uma vitória do Atlético Assisense colocam o Falcão do Vale, daqui a uma semana, no cruzamento de critérios de desempate para ver se pode, independentemente de tapetão do TJD, ser um dos três melhores quartos colocados entre grupos.

Lembrando, apenas, que na tarde desse sábado um dos concorrentes por uma das 3 vagas de melhores quartos colocados entre grupos já caiu. O Suzano foi derrotado, fora de casa, pelo Guarulhos e já está ultrapassado pelo Atlético Assisense no cruzamento técnico. Ou seja, exatamente agora, o Atlético Assisense está vivo na briga por uma vaga na Segunda Fase, o que era totalmente inconcebível ontem, 24 horas atrás. É essa a delícia do universo do futebol.



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.

Assisense de olho no Prudentão, para passar Osvaldo Cruz

Cláudio Messias*

Daqui a pouco, Presidente Prudente x Osvaldo Cruz entram em campo, no estádio Prudentão, pela nona rodada da Segundona 2014. A torcida de Assis está de olho nesse confronto, pois, dependendo do resultado, o Atlético Assisense assumirá a quarta colocação no grupo 1, voltando à zona de classificação para a Segunda Fase do torneio. Ontem, o Falcão do Vale fez 3x2 no Bandeirante, em pleno estádio Pedro Marin Berbel, em Birigui, e voltou à briga por um lugar na próxima etapa dessa que é a última divisão do futebol paulista. Nesse jogo de sábado à noite a transmissão (19h00), ao vivo, será da Rede Vida de Televisão.

O mandante PPFC entra no gramado do Prudentão já eliminado. Com 6 pontos, pode chegar ao máximo de 12 ao final da Primeira Fase e, assim, não encontra-se na zona de pontuação das demais equipes que brigam por uma das 3 vagas como melhores quartos colocados em suas respectivas chaves. Essa condição de eliminado foi gerada pelo próprio Atlético Assisense, que com os 3 pontos de ontem, em Birigui, chegou aos 10 pontos e não pode mais ser ultrapassado pelo Presidente Prudente, que, por sinal, é seu adversário da última rodada, domingo que vem, na rodada de encerramento da Primeira Fase. Dentro dessa premissa, claro, trabalho com a hipótese de que o time prudentino não vencerá  no Tonicão, nesse derradeiro jogo do dia 8 de junho.

A vitória do PPFC frente ao Osvaldo Cruz é importante porque deixa o atual último colocado na mesma pontuação e, principalmente, reduz seu saldo de gols. É o único quesito que mantém o OSvaldo Cruz em vantagem em relação ao Atlético Assisense, que tem os mesmos 10 pontos na classificação. Ambas as agremiações têm saldo negativo de gols, mas o Assisense apresenta 4 tentos negativos e o rival, 2. Isso significa que uma vitória por 2 gols de diferença, por parte do time prudentino, recoloca o Falcão do Vale na quarta melhor campanha da chave, vivo para, na última rodada, brigar por uma das 3 vagas na Segunda Fase.

Arbitragem - Considerando os comentários que ouvi sobre a arbitragem falha, ontem, de Bandeirante 2x3 Atlético Assisense, é bom ficar de olho no quarteto que apitará Presidente Prudente x Osvaldo Cruz, daqui a pouco. O apito ficará com Paulo Estevão Alves da Silva, conhecido do Falcão do Vale. Ele foi árbitro principal do embate Atlético Assisense 2x2 Tupã, ano passado, no estádio Tonicão, dia 18 de maio. Eu estive lá naquele jogo e defino esse árbitro como fraco, sem pulso firme e suspeito. Pode, contudo, surpreender hoje. Será auxiliado por Fernando Leonardi de Morais e Leonardo Augusto Villa. O quarto árbitro será Wagner Francisco Salviano da Silva.



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Café de boa noite - Avante, Falcão


Atlético Assisense devolve derrota em Birigui e sobrevive na Segundona

Cláudio Messias*

O torcedor que foi aos dois derbys entre Atlético Assisense x Vocem vai entender o que vou dizer: o Falcão do Vale tem time para estar na Segunda Fase da Segundona 2014. É um time técnico, que joga com a bola no chão e foi superior ao rival de Assis duas vezes; venceu uma, perdeu outra. Aqueles apaixonados por futebol, que vão aos jogos dos dois times de Assis, sabem distinguir as coisas e compreendem o que digo.

Nessa noite, o estádio Pedro Marin Berbel, em Birigui, sentiu a força do time de Tupãzinho. Jogou bola, como sempre tem feito. E não é de hoje que o Assisense vem jogando muita bola, porém com resultados adversos. A própria derrota por 2x0, em pleno Tonicão, no primeiro turno, para o próprio Bandeirante, foi injusta. Eu estava no Tonicão naquela ocasião e critiquei, aqui no Blog, a postura do técnico Alisson Moraes, apático. O Bandeirante fez dois gols, mas quem mandou no jogo foi o Assisense.

Cheguei ao meu apartamento, na noite dessa sexta-feira, sabendo que o placar parcial, aos 40 minutos da etapa complementar, marcava 3x2 para o Atlético Assisense sobre o Bandeirante, em plena Birigui. Conferi com um amigo que estava no estádio Pedro Marin Berbel e, realmente, procedia. E a avaliação que eu recebia, via torpedos de celular era uma só: "seu time é muito bom". Meu amigo, professor universitário, se referia, obviamente, ao Atlético Assisense.

Não tenho, pois, informação sobre os autores dos gols. Cinco gols. Farei a atualização dessa postagem com todas as informações quando receber a súmula eletrônica da partida. O que não deixo de registrar, jamais, é a opinião de meu amigo, em consentimento com o grupo de torcedores do Bandeirante que estava no estádio nessa noite: esse time do Assisense merece estar na Segunda Fase, mais do que o próprio Bandeirante. Ao que concordo, pois até agora só vejo o Grêmio Prudente como melhor equipe, no grupo 1, do que o Falcão do Vale. É a realidade, e os dois derbys comprovam o que digo.

É bom dizer que essa vitória do Atlético Assisense elimina qualquer chance de o Presidente Prudente sonhar com a classificação. Ou seja, o rival prudentino foi eliminado pelo Falcão do Vale. E será o adversário de domingo que vem, na última rodada, no estádio Tonicão. Oportunidade de fazer mais 3 pontos e ampliar o saldo de gols. Fator, esse, primordial para qualquer plano de chegar à próxima fase no cruzamento de critérios de desempate previstos no regulamento.

Para quem ainda faz contas, o Atlético Assisense venceu hoje mas pode ser novamente colocado como passível de eliminação caso o Osvaldo Cruz vença, em Presidente Prudente, o time local às 19 horas desse sábado. Um empate nesse confronto favorece o Falcão do Vale, mas o ideal continua sendo que o PPFC vença, e por placar superior ou igual a 2 gols, pois assim o time de Assis terminaria a rodada na quarta colocação. De olho nos outros grupos, empates de Jabaquara, União Suzano e São Bernardo colocam o Atlético Assisense em uma condição em que passa a depender das próprias pernas para classificar.

O mais difícil, portanto, já foi feito, que era vencer o Bandeirante em plena Birigui. Agora, dignidade nos trabalhos e que a cidade de Assis acolha melhor o time que a representa, sucessiva e ininterruptamente, há 13 anos. A Multi-Ar, minutos atrás, garantiu que todas as condições serão dadas para que o clube que escolheu para patrocinar avance e leve o nome de Assis adiante. Futebol, clareza e transparência o Falcão do Vale tem, e de sobra. E com certeza não estará no TJD para perder pontos por falcatrua. A semana vindoura promete.



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.

Boatos tiram 6 pontos do Osvaldo Cruz, mas TJD confirma julgamento para dia 2

Cláudio Messias*

Algumas postagens nas redes sociais, nessa sexta-feira, deram conta de que o Osvaldo Cruz perdera 6 pontos por ter escalado irregularmente jogadores no primeiro turno da Segundona 2014. Tudo, porém, não passa de especulação, segundo a Federação Paulista de Futebol. Há, sim, uma situação em que o clube do grupo 1 passará pelo Tribunal de Justiça Desportiva, na próxima segunda-feira, dia 2. Afora isso, uma punição por ocorrência registrada na partida do dia 5 de maio, em Birigui, contra o Bandeirante, mas por razões disciplinares.

O Osvaldo Cruz está sendo denunciado pelo Presidente Prudente por ter, no confronto do primeiro turno, listado para o confronto um jogador que sequer entrou em campo nesse ano. Trata-se de Luciano Genaro de Lima, apontado como autor do gol da vitória do Osvaldo Cruz sobre o PPFC no dia 27 de abril. Esse atleta apenas passou por testes no clube de Osvaldo Cruz, mas foi dispensado. E, na realidade, aquele gol do jogo foi marcado por Eduardo Vinícius Silva Nunes, regularmente inscrito na Federação. Esse caso ganhou destaque nacional porque foi um jogo em que dois jogadores marcaram um único gol.

A confusão lançada nas redes sociais nessa sexta-feira dá conta de ata do TJD publicada ontem no site da Federação. No documento, de número 15/2014, o Osvaldo Cruz foi multado em R$ 750,00 e seu treinador, Carlos Pinoza, advertido. A mesma advertência incidiu sobre Benedito de Souza Miranda, técnico do Bandeirante. No jogo do dia 4 de maio o treinador do Bandeirante, mandante, entrou no campo com a maca para a retirada de um jogador do Osvaldo Cruz, ainda no primeiro tempo, alegando 'cera' do adversário. O técnico do time visitante defendeu seu atleta e os treinadores trocaram empurrões, acabando expulsos.

Os julgamentos do TJD acontecem mediante cronogramas formais. Primeiro, são lançadas as citações, tornadas públicas no site da Federação. Nesse documento, os clubes tomam ciência de que poderão enviar defesa e representantes para os julgamentos que geralmente ocorrem às segundas-feiras, no Tribunal. Todos os julgamentos e decisões são passados em atas, igualmente publicadas. No caso do Osvaldo Cruz, a citação 16/2014 foi tornada pública ontem, mas o caso decorre de denúncia anterior à pauta que será colocada em votação na semana que vem.

*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação na ECA/USP.

Atlético Assisense vai a Birigui em busca do improvável

Cláudio Messias*

A semana do Atlético Assisense foi conturbada. E pode terminar pior ainda. O clube tem chances remotas de prosseguir na Segunda Divisão do Campeonato Paulista, remonta dívidas assumidas com jogadores e enfrenta o algoz Bandeirante, em Birigui, na noite dessa sexta-feira. Em meio a isso, numa situação de realidade paralela, espera o desfecho de um amontoado de denúncias que estão surgindo e podem parar no Tribunal de Justiça Desportiva.

No que depender de suas próprias forças, o Atlético Assisense sonha com a classificação se devolver a derrota do primeiro turno, no Tonicão (2x0), agora jogando no estádio Pedro Marin Berbel, em Birigui, frente ao Bandeirante. É o penúltimo compromisso do Falcão do Vale nessa Primeira Fase e, preferencialmente, essa vitória fora de casa seria ideal se ocorresse com 2 gols de diferença, para reduzir o saldo negativo do time de Assis, atualmente em 5 tentos. Chegando, assim, aos 10 pontos, haveria empate com o Osvaldo Cruz, que amanhã enfrenta o Presidente Prudente, no estádio Prudentão, com transmissão ao vivo pela Rede Vida de Televisão (19h00).

Hoje, o Atlético Assisense tem 29,2% de aproveitamento.  E com dois jogos pela frente e seis pontos a somar. Para se ter um parâmetro sobre a dificuldade dessa missão, esses seis pontos correspondem, em dois confrontos, a quase tudo que o Falcão do Vale fez até aqui em 8 jogos disputados. E mesmo que vença em Bandeirante hoje à noite, precisará fazer ao menos 3 gols para igualar em campanha com o Osvaldo Cruz, atual quarto colocado da chave e, hoje, um dos três melhores quartos colocados que garantem vaga na Segunda Fase.

Um empate em Birigui sepultará os planos do Atlético Assisense já nessa noite de sexta. Isso porque os demais clubes que lutam pelas quartas vagas de seus grupos e, assim, sonham com as 3 vagas que serão definidas por índice técnico na próxima fase, somam a seguinte pontuação: Pirassununguense, no grupo 3, 12 pontos; União Suzano, grupo 6, 10 pontos; e São Bernardo, grupo 7, 9 pontos. Essas agremiações podem, com sobra, passar, nos dois jogos restantes, dos 13 pontos a que o Atlético Assisense pode, no máximo, chegar. O olho no gato e no peixe, portanto, faz o Falcão do Vale mirar sua meta de 6 pontos e monitorar os eventuais tropeços de Pirassununguense, União Suzano e São Bernardo. Somado a eles, ainda há, no grupo 3, o XV de Jaú, que pode chegar aos mesmos 13 pontos, ocupando atualmente a quinta colocação em sua chave, e o Jabaquara, atual quinto colocado no grupo 7 e que pode somar 15 pontos no total.

Passada essa penúltima rodada o sonho assisense se estenderá para o domingo, dia 8 de junho, com jogos realizados unicamente às 10 horas. Na ocasião, receberá o Presidente Prudente, no Tonicão, somando maiores esperanças caso o jogo de amanhã, entre Presidente Prudente x Osvaldo Cruz, termine ao menos empatado ou com vitória dos prudentinos. Aí, sim, competirá ao Falcão do Vale fazer o dever de casa e aplicar gols que lhe esgotem o saldo negativo. E, por ironia, torcer para que o Osvaldo Cruz não vença, em casa, ao Vocem. Com essa matemática, o Assisense garante a quarta colocação do grupo 1 vai para o cruzamento de resultados com outros 6 grupos para saber se estará entre os 3 melhores quartos colocados.

Entre os atuais quartos colocados em condições de pontuar o suficiente para tirar a vaga do Atlético Assisense, o Pirassununguense pega, nesse domingo, o lanterna e já eliminado Lemense, em Leme, e encerra a Primeira Fase contra o forte Guariba, atual líder do grupo 3, em Pirassununga. Já o União Suzano pega, fora de casa, o eliminado Guarulhos, nesse domingo, e encerra a fase, em casa, contra o atual vice líder do grupo 6, Guarujá. Por fim, o São Bernardo recebe o lanterna e eliminado São Vicente, pelo grupo 7, nesse domingo, e na última rodada vai a Santos enfrentar a vice-líder da chave, Portuguesa Santista. Tarefas, portanto, nada fáceis para os adversários indiretos do Falcão do Vale nessa reta final.



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Caso de ingressos do derby leva Atlético Assisense ao TJD

Cláudio Messias*

O Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol tornou pública, agora à tarde, a pauta da sessão prevista para o dia 2 de junho. O Atlético Assisense passa a ter interesse em dois itens desse julgamento. O primeiro deles condiz à definição da situação em que o Osvaldo Cruz pode perder até 4 pontos por escalação irregular de jogador em confronto contra o Presidente Prudente, no primeiro turno da Segundona 2014. O segundo mexe no bolso do Falcão do Vale, que poderá ser penalizado com multa por ter confeccionado lote de ingressos à parte para o derby de domingo passado, contra o Vocem.

O Atlético Assisense está em fase de citação no TJD. O clube é enquadrado nos artigos 1.o e 41 do Regulamento Geral da Competição, inerente ao Campeonato Paulista da Segunda Divisão. No texto do regulamento está previsto que "será proibida a emissão de qualquer tipo de convites ou ingressos gratuitos", trecho presente no parágrafo 1.o do artigo 39, referente ao capítulo VII, sobre arrecadação e despesas financeiras. No outro enquadramento, o Falcão do Vale terá de se justificar sobre a constatação de não recolhimento previdenciário sobre a receita bruta do jogo contra o Vocem, situação prevista no Artigo 41 do Regulamento.

Além do Atlético Assisense o Tanabi também cometeu as mesmas situações que o TJD entende como passíveis de enquadramento de irregularidade. As duas equipes estão enquadradas nos mesmos itens, sobre confecção de ingressos à parte e não recolhimento previdenciário.

Pelo Regulamento Geral da Segundona, se configurado ato falho na confecção de ingressos para o derby de domingo passado e, assim, houver condenação, o Atlético Assisense sofrerá sanção apenas financeira. Deverá, pois, ficar estabelecida multa por ato administrativo, com valor a ser especificado.

As denúncias feitas no TJD constam na citação n.o 16/2014. Nela, o Vocem também é citado, mas, pela expulsão, no derby de domingo passado, do jogador Jhonny Fernando Dias, enquadrado no artigo 250 do Código Disciplinar.


Imagem: Reprodução
Reprodução de ingressos adquiridos na bilheteria do
estádio Tonicão, no derby de domingo passado: não pode



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Patrocinador máster separa joio do trigo no Atlético Assisense

Cláudio Messias*

A situação está difícil - eu diria impossível - para reversão da não classificação do Atlético Assisense para a Segunda Fase da Segunda Divisão do Campeonato Paulista 2014. Em meio a esse caos, porém, ainda sobram especulações, como é peculiar em Assis, a Sucupira do Vale. Tudo bem, agora é público que o pagamento dos salários de maio não foram feitos no dia 20, como programado, mas daí a haver quebras de contrato com patrocinadores, a história é outra.

O patrocinador máster do Falcão do Vale na temporada 2014 é a Multi-Ar, empresa do grupo Gelo-Som, de meu amigo Tiziano. Não, não dialoguei com o empresário desde a formalização dessa parceria. Mas, o conheço o suficiente para saber que tem caráter e visão empresarial em todas as suas ações. Não por acaso, tem Neto, ex-jogador e comentarista e apresentador do Grupo Bandeirantes de Televisão, como garoto propaganda. Patrocinar o Atlético Assisense, pois, foi investir em um nicho mercadológico que está dando certo. O clube escolhido foi o Falcão do Vale, por seu histórico recente de 13 temporadas consecutivas na disputa do Campeonato Paulista, fato inédito e histórico em Assis.

Nessa quarta-feira, 28 de maio, foi necessário que a Multi-Ar viesse a público para formalizar esclarecimentos. A boca maldita, que prevale em Assis nos seus mais de 100 anos de história, lançou boatos nada condizentes ao perfil histórico de Tiziano e seus familiares. Rompimento com o Atlético Assisense por conta do magro 1x0 do derby contra o Vocem, domingo passado, não faria a empresa faltar com a palavra. Não faria e não fez. Até porque, está 1x1 no confronto entre os dois times da cidade, e com o Falcão do Vale sobrando como melhor time no comparativo entre as agremiações nos confrontos de maio e de domingo passado.

Mas, o esclarecimento da Multi-Ar em nada tem a ver com quem foi melhor ou pior nos dois derbys. A patrocinadora máster do  Atlético Assisense emitiu nota em que garante continuar com os compromissos financeiros com o clube até que seja encerrada sua participação na Segunda Divisão. Ou seja, se houver classificação para a Segunda Fase do torneio - o que é improvável -, lá estará o aporte financeiro necessário, dentro do que foi acordado em contrato. Se isso vai significar que a diretoria do clube fará uso dos recursos para acertar sua situação financeira, aí já será outra história.

A nota de Tiziano deixa claro que não há interferência do patrocinador na gestão do Atlético Assisense. O que a diretoria do clube faz, portanto, foge daquilo que a Multi-Ar estabelece como parâmetro de gestão. Uma coisa, pois, são os problemas com jogadores, tornados públicos desde segunda-feira. Outra coisa, bem diferente, é o posicionamento do patrocinador principal, que separa o que é ação de marketing do que são os resultados obtidos através de parte daquilo que é repassado como apoio financeiro. A contratação do técnico Tupãzinho, por exemplo, foi ação de marketing. Mas, as derrotas pós-contratação de Tupãzinho não entram nessa ação de marketing.

No domingo, após a derrota para o Vocem que quase sacramentou a eliminação do Atlético Assisense já na Primeira Fase, o presidente Carlos Antunes do Rosário, o Boi, debateu com torcedores nas redes sociais. De acordo com o dirigente, em diálogo comigo nas mesmas redes sociais, há, sim, problemas financeiros, e sérios, envolvendo pagamentos. Mas, em nada relacionados ao repasse de recursos feito pelos patrocinadores. Boi referiu-se a dificuldades com algumas das empresas parceiras, sem citar nomes. Com a nota de esclarecimento dessa quarta, 28 de maio, parece-me que estaria tudo em ordem com a Multi-Ar.

É fato, desde já, que somente um milagre coloca o Atlético Assisense na Segunda Fase. O clube precisa somar duas vitórias, sendo uma em Birigui, contra o Bandeirante, nessa nona rodada do próximo final de semana, e ainda aplicar uma sonora goleada no Presidente Prudente, na última rodada, daqui a 10 dias. Nesse ínterim, precisa que o Osvaldo Cruz não some pontos nas partidas que tem pela frente nessas duas últimas rodadas, de maneira a garantir, o Falcão do Vale, a quarta colocação do grupo 1. O problema é que já há dois melhores quartos colocados em outros grupos, entre as 7 chaves em disputa, somando mais de 13 pontos, que é o máximo que o time de Assis consegue obter nessa fase. Ou seja, é preciso torcer contra Osvaldo Cruz, Presidente Prudente e contra os clubes de 4 grupos, para que não sejam melhores quartos colocados com mais de 13 pontos.

Site da FPF - A equipe gestora de Tecnologia da Informação da Federação Paulista de Futebol está, desde ontem, aplicando alterações na plataforma digital do site da instituição. Com isso, os dados da rodada do final de semana passado do Campeonato Paulista, Segunda Divisão, estão desatualizados (as informações correspondem à sétima rodada). Isso dificulta que aqui, no Bog, eu lance os dados atualizados do ranking das bilheterias e a classificação geral de todos os 39 clubes que disputam  a Segundona.

Igualmente, continuo no aguardo de uma confirmação sobre o caso da denúncia do Presidente Prudente FC contra o Osvaldo Cruz. O time prudentino acusa do rival de ter escalado irregularmente jogador no confronto direto do primeiro turno. O TJD deve confirmar para o dia 2 de junho o julgamento da denúncia, o que poderia implicar na perda de 3 pontos para o Osvaldo Cruz, que cederia a quarta colocação do grupo 1 ao Atlético Assisense. Motivo  nenhum de empolgação, pois o Falcão do Vale continua podendo chegar, no máximo, a 13 pontos, pontuação que clubes de outros grupos podem atingir já nesse próximo final de semana e, assim, eliminar definitivamente o time de Assis.

Imagem: Faceboob
Nota de esclarecimento postada  nas redes
sociais nessa quarta-feira, 28 de maio



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.


domingo, 25 de maio de 2014

EU, DA ESCUTA - A rodada dos massagistas 'violentos'


RUÍDO
A rádio Assiscity aos poucos vai deparando com aquilo que por décadas as equipes de esportes de emissoras analógicas tiveram de conviver: a falta de estrutura de estádios brasileiros. Foi assim no estádio Breno Ribeiro do Val, semana passada, e a coisa se repetiu no Tonicão, nesse domingo. Internet precária em estrutura deficitária e lá foi a rádio Assiscity entrar no ar com meia hora de bola rolando no derby.

COBERTOR CURTO
A situação ridícula a que o torcedor de Assis fica exposto no estádio Tonicão é digna de piada. Se no derby de 20 de maio queimaram-se pescoços, braços e carecas sob sol escaldante, nesse domingo os corajosos torcedores saíram de casa debaixo de garoa e sob frio e assim continuaram expostos. Estádio sem cobertura sujeita o público ao desconforto. Em Assis, paga-se para ficar assim.

OITO OU OITENTA
Impossibilitado de estar no estádio nesse derby, dada a distância Assis>Campina Grande, fiz minha parte de comunicador quando, requerido por amigos, nas redes sociais, percebi que havia carência de informações, em tempo real, sobre o que ocorria no Tonicão. Com a rádio Assiscity fora do ar, dezenas de torcedores acreditaram que conectariam seus computadores na cama, no sofá, enfim, debaixo do cobertor e ouviriam o jogo sem precisar tomar chuva ou gelar no vento frio nas molhadas arquibancadas do estádio de Assis. Se enganaram, e desesperaram.

OITO OU OITENTA II
A rádio Assiscity entrou no ar por volta de 30 minutos do primeiro tempo, mas os amigos que acionei, não sabendo disso, continuaram disparando torpedos, via celular, com os principais lances e detalhes do jogo. Por exemplo, havia parte considerável da torcida no prédio de entrada do Tonicão, ou seja, assistindo ao derby a uma distância de dezenas de metros. O motivo, claro, era a proteção da chuva, que caiu durante todo a etapa inicial.

OITO OU OITENTA III
Entre meus contatos no Tonicão estavam torcedores de Atlético Assisense e Vocem. Ambos, contudo, não ignoraram a superioridade do Falcão do Vale na partida. Igual ao derby do primeiro turno, mas com a diferença de, dessa vez, o Vocem ter feito a diferença. E no futebol a diferença chama-se gol.

SEM BONÉ
No início da tarde, depois do jogo no Tonicão, houve especulação de que Tupãzinho teria colocado o cargo à disposição da diretoria do Atlético Assisense. A informação não foi confirmada pela diretoria do clube, que diz ter intenção de manter o contrato até o final, ou seja, até que haja esperança de classificação.

CÁLCULOS
O Falcão do Vale não depende mais das próprias forças para conseguir a classificação, mas isso vem desde a sétima rodada, com a derrota para o Osvaldo Cruz. Um fator novo, contudo, reacendeu a esperança do time: a possível punição justamente do Osvaldo Cruz, que perderia pontos por ter escalado irregularmente jogador no confronto com o Presidente Prudente FC, no primeiro turno. De acordo com Boi, presidente do Assisense, caso o TJD puna o Osvaldo Cruz, a perda será de 4 pontos, pois o código disciplinar da CBF prevê perda dos pontos do jogo (3), mais 1 ponto.

BURACO MAIOR
O abismo em que o Osvaldo Cruz se meteu com essa história toda pode ser ainda maior. No jogo Grêmio Prudente 2x0 Osvaldo Cruz, sábado, no estádio Prudentão, a equipe esportiva da rádio Clube 750 AM falava de um segundo caso também envolvendo situação irregular de jogador no time de Osvaldo Cruz. Não poupa-se em crítica o trabalho do presidente Zaparolli.

AFRONTA
Acusador e acusado voltam a se encontrar na próxima rodada da Segundona. Agora no Prudentão, Presidente Prudente x Osvaldo Cruz duelam para saber quem continua vivo no torneio, antes do julgamento no TJD no dia 2 de junho. Com uma vitória, o PPFC entra na briga direta pela quarta vaga do grupo, pois dependendo do resultado de Bandeirante x Atlético Assisense, na mesma rodada, o time de Assis pode acabar na lanterna isolada da chave. O PPFC é acusador porque é dele a denúncia contra o Osvaldo Cruz.

EM REDE
O confronto dos desafetos poderá ser assistido por torcedores de Assis e de todo o país. A Rede Vida, com o fim de torneios como a Série A-3, começa a dar foco na Segundona. Chegou e já abalou estruturas, alterando o horário do jogo desse sábado, no Prudentão, das 17h00 para as 19h00. No domingo, às 10h00, transmite Olímpia x Barretos.

CRISE
Pela primeira vez o presidente do Atlético Assisense, Boi, admitiu que as coisas não estão boas nas finanças do clube. Segundo ele, a expectativa de bom público para o derby desse domingo era uma esperança para que alguns compromissos fossem honrados na semana. O dirigente lamenta haver desânimo de alguns colegas de diretoria, abatidos com os resultados das últimas rodadas. E, principalmente, teme que o impacto negativo dessa fase incida sobre as parcerias comerciais, fundamentais para a sobrevivência do projeto de 2014.

DE NOVO
O Grêmio Prudente é o melhor time do grupo 1 e um dos melhores da Segundona em 2014, mas quando o assunto é mau exemplo de sua equipe gestora consegue exceder. Sábado, na vitória por 2x0 sobre o Osvaldo Cruz, mais um representante do clube prudentino foi parar na súmula do árbitro Roberval José de Oliveira. Dessa vez foi o auxiliar técnico Marcelo Casagrande, que na súmula do árbitro aparece como autor dos dizeres "já falei pra vocês, não vai dar nenhum a para nós, tá de sacanagem com meu time, porra". Foi expulso e o caso, para o TJD.

TEMPO PERDIDO
O árbitro Roberval José de Almeida também deu lá seu escorregão na súmula. Ao justificar os acréscimos para o jogo de sábado, no estádio Prudentão, arguiu que aumentou em 1 minuto o primeiro tempo e 3 minutos o segundo, devido ao que classificou como substituições, transporte de jogadores lesionados, substituições e... "perda de tempo". Como assim?

OITO MINUTOS
O jogo Atlético Assisense 0x1 Vocem também rendeu assunto em súmula. O árbitro Douglas das Flores registrou que a ausência de médico implicou em 8 minutos de retardamento no início do derby. Sem o médico do Assisense quem assumiu o comando foi o médico contratado pelo Vocem, Sebastião  Júlio Rodrigues Júnior. Nas redes sociais, o presidente do Assisense, Boi, disse que o médico acordado era André Gava, tradicional parceiro tanto de Assisense como de Vocem há mais de 10 anos.  No TJD, com certeza, alguns reais de punição ao Falcão do Vale daqui a uma semana.

ATENDIMENTO MILAGROSO
Aos 20 minutos do segundo do confronto XV Jaú 1x2 Pirassununguense o jogador Wesley, do time visitante, saiu de campo alegando precisar de atendimento médico, devido a suposta contusão. Quando retirado, contudo, pulou da maca e correu para a lateral do campo, pedindo retorno. Recebeu, entretanto, cartão amarelo, por clara simulação de contusão, para parar o jogo. Como já tinha recebido cartão amarelo logo a 14 minutos do primeiro tempo, foi expulso. Na súmula do árbitro Márcio Roberto Soares, vai parar no TJD.

BOCUDOS
Tem arbitragem que não agrada gregos nem troianos. Márcio Roberto Soares saiu do estádio Zezinho Magalhães, em Jaú, com essa certeza. Nesse domingo, no intervalo do jogo, expulsou o preparador físico do XV de Jaú, A.R. de M, por ter vociferado: "só um minuto? você é um filho da put*, safado, veio aqui para complicar, vai tomar no c*, seu filho da put*". Logo em seguida, mais um representante do time mandante expulso, mas com ofensa incompleta. Dessa vez foi o auxiliar técnico que disse apenas "só um minuto". Considerando o repertório do expulso anterior, o árbitro não pensou duas vezes e botou pra fora do jogo.

BOCUDOS II
Pensa que acabaram as ocorrências no jogo XV Jaú 1x2 Pirasununguense? Pois depois do jogo foi a vez de o técnico visitante soltar os cachorros pra cima do árbitro Márcio Roberto Soares. Ricardo Luis do Nascimento foi em direção ao trio de arbitragem e assim definiu: "essa foi a pior arbitragem do campeonato, você é mal intencionado". Contido por um dos jogadores do Pirassununguense, ainda continuou: "você só errou, já veio mandado, você veio mandado". Vai explicar o que quis dizer ao TJD.

LUTO
O jogo Manthiqueira 2x0 Jacareí teve um minuto de silêncio em homenagem à mãe de um dos jogadores do time mandante, falecida. O jogador é Roberson Felipe, camisa 8 do Manthiqueira, que, forte emocionalmente, estava em campo e atuou durante os 90 minutos. Ou melhor, os 59 minutos em que a bola rolou.

UFC
A expulsão do jogador Danilo Ferreira, do São Vicente, na derrota por 2x0, em casa, para o Jabaquara, tem requintes de crueldade. Segundo o árbitro Phillip Lombard, o jogador mandante desferiu um soco no queixo do colega Guilherme, do Jabaquara, quando esse encontrava-se caído no chão. Socar quem está caído e atingir o queixo é coisa para especialista. E especialistas nesse tipo de violência costumam ganhar mais de uma partida de suspensão no TJD. Não por acaso, São Vicente 0x2 Jabaquara foi um dos jogos mais violentos da Segundona até aqui, totalizando 54 faltas. Sim, 54 faltas, com 63 minutos de bola rolando. Só o Jacareí fez mais faltas do que a média de todos os jogos da rodada: 30.

VAI PESCAR
Os massagistas continuam querendo aparecer mais do que a bola nos jogos da Segundona. Dessa vez foi em Portuguesa Santista 1x0 Diadema. Aos 25 minutos do segundo tempo o cidadão Adão Barros da Conceição teve um piti pela não marcação de um lance que entendeu como falta. Saiu gesticulando e, depois de afirmar "árbitro cego, para a gente não marca nada", chutou as garrafas d´água que estavam na beira do gramado. Delatado pelo árbitro assistente 1, Alex Ang Ribeiro, foi expulso, está na súmula e antes da pescaria terá uma sessão de avaliação no TJD.

VAI MATAR
Machão mesmo é o massagista do ECUS. No jogo desse domingo Suzano 3x0 ECUS, o derby local, o cidadão P. C. da S. teve a coragem que ninguém tem de fazer a seguinte ameaça: "seus filhos da put*, vocês estão de sacanagem, se chamar o árbitro você não sai vivo daqui". Essa ameaça foi para o quarto árbitro, que não só avisou o árbitro principal  Alessandro Darcie, como viu a expulsão do massagista e saiu do estádio Francisco Marques Figueira vivo para, daqui alguns dias, saber o resultado do julgamento do bocudo no TJD.

SIMPLES ASSIM
O jogo menos faltoso desa oitava rodada da Segundona 2014 aconteceu em Barretos, na vitória do time mandante por 4x0 sobre o Tanabi, fora o baile. Lá, a bola rolou durante 60 minutos e o Barretos cometeu 10 faltas, ante 12 do Tanabi, de Cabañas. Total de 22 faltas e partida mais light do torneio até aqui.

Ingressos 'brancos' no derby geram suspeita de falsificação; dirigente explica

Cláudio Messias*

Terminado o derby Atlético Assisense 0x1 Vocem, quando eu iniciava uma série de levantamentos relacionados ao confronto, fui acionado por alguns amigos que, presentes no chuvoso jogo do Tonicão, estranhavam o canhoto dos ingressos que receberam para adentrar ao recinto. Segundo eles, tratava-se de falsificação, fraude, pois o número oficial de torcedores presentes ao estádio não correspondia ao público anunciado no sistema de som.

Primeiramente, quero deixar claro que aprofundei nesse assunto por consideração, primeiro, aos meus amigos, pois a reclamação aconteceu via redes sociais, em diálogos reservados. Ratifico que estou em Campina Grande, na Paraíba, a 2.800 km de distância de Assis, e, portanto, casos complicados e polêmicos como esse eu sempre tratei e cobri, como jornalista, in loco, ou seja, mediante a consulta de fontes primárias. Demorei, pois, para levantar material que fundamentasse essa minha publicação. E o que aqui publico só está postado porque tenho, formalmente (ou virtualmente), as versões dos dois lados envolvidos.

Sempre fiz prevalecer o sigilo de minhas fontes. Mesmo nos processos em que fui acionado, jamais revelei a identidade daqueles que formalizaram a veracidade daquilo que publico. Logo, não será agora que revelarei quem são os torcedores que adquiriram ingressos para o derby, sentiram-se enganados e, enfim, reclamaram daquilo que entendem como suspeita de falsificação de ingressos no confronto Atlético Assisense 0x1 Vocem. E, que fique claro, não é porque o Falcão do Vale está por um fio, mais eliminado do que com chances de classificação, que estou fazendo esse tipo de postagem. Continuo, como torcedor, acreditando na classificação, crença essa que só esgotará quando for feito o apito final do último confronto, contra o Presidente Prudente, no Tonicão, daqui a duas semanas. 

Razão e emoção, pois, ficam aqui separadas. A razão mostra uma insatisfação de minha audiência, no Blog, com a venda de ingressos. A emoção faz-me lamentar que esse seja mais um episódio que risque a imagem de um clube fragilizado por resultados (placares) injustos, e  que, em resumo, é o clube pelo qual decidir torcer na temporada 2014, contrariando minha paixão histórica pelo outro clube da Sucupira do Vale.

Meus amigos acionaram a conversa nas redes sociais por volta de 12h30, quando chegaram em suas residências. A primeira cópia de ingresso tido como falsificado chegou minutos depois e, realmente, mostra bilhete que foge ao padrão da Federação Paulista de Futebol. Na ausência, online, de dirigentes como Carlos Antunes do Rosário e Roberto Carlos Amorielli, acionei o serviço de relações públicas da Ingresso Fácil, responsável pela confecção dos ingressos encomendados pela Federação Paulista de Futebol. Um posicionamento formal é aguardado para essa segunda-feira, uma vez que os responsáveis não são facilmente encontrados aos finais de semana.

A hora avançou tarde adentro e, enfim, obtive uma fala de Carlos Antunes do Rosário, o Boi, presidente do Clube Atlético Assisense. Outras reclamações iguais, sobre os bilhetes, já haviam sido feitas via redes sociais, para esse blogueiro, e o dirigente admitiu, via inbox, no Facebook, que esse tipo de procedimento - produzir lote à parte de ingressos, em gráfica particular - é normal em Assis e em qualquer outra localidade do país e do mundo. Não vou entrar nesse detalhe para questionar Boi, pois, repito, jamais estudei ou aprofundei investigações acerca dessa relação ingressos>público, mesmo estando há quase 30 anos no circuito das transmissões esportivas. O que posso afirmar, talvez com emoção sobrepondo-se à razão, é que soa estranho que uma Federação séria - ou, talvez, quase isso - como a FPF tenha contrato de cessão de direitos com a Ingresso Fácil e consinta que clubes mandantes façam, paralelamente, a gestão de seus próprios lotes de bilhetes que condicionam acessos, pagos, aos estádios. Mas, isso é estranhamento, e não posição editorial.

Nas mesmas redes sociais Boi dialogou publicamente com internautas que questionavam o detalhe dos ingressos e outros mais. De acordo com o dirigente, houve alteração no valor dos ingressos, o que exigiu a produção de bilhetes à parte para as vendas antecipadas. Daí, portanto, o fato de os tais ''ingressos brancos'' serem vistos nas mãos de torcedores. Tudo, segundo Boi, dentro da legalidade, pois essa atribuição de gestão dos procedimentos de acesso aos estádios é de responsabilidade dos mandantes, ainda mais em se tratando de decisões pontuais como a de alteração de valores na última hora. "O boletim provisório vem com o arbitro, o qual repassa paro clube, que completa os dados, o qual é devolvido ao final do jogo ao árbitro. Normalmente, os clubes têm dificuldade em relação aos ingressos antecipados e as cortesias distribuídas aos patrocinadores, que os repassam aos clientes. É responsabilidade do clube mandante", argumentou o presidente.

É fato, pois, que o boletim financeiro da Federação Paulista de Futebol trará, nessa segunda-feira, o público de 397 pagantes para esse derby Atlético Assisense 0x1 Vocem. Boi reconhece que ainda faltam, nesses números, as estatísticas de recolhimento do que foi vendido em postos distribuídos pela cidade. Na análise de quem esteve no Tonicão, então, podem ter sido vendidos mais de mil ingressos de forma antecipada, pois a estimativa é de que havia, nas arquibancadas, mais de 1.000 pessoas. O presidente do clube, nesse ínterim, diz poder fechar o balancete somente após o fechamento de caixa de cada um dos pontos externos, o que pode levar mais dias pela frente.

Essa situação toda, por mais que corresponda à normalidade, como afirma e justifica Carlos Antunes do Rosário, o Boi, representa mais um aprendizado. Confesso que sinto-me perdedor de tempo ao desperdiçar minutos e até mesmo horas semanalmente calculando o que cada jogo da Segunda Divisão, rodada após rodada, apresenta de público pagante. Oras, se o que consta nos boletins financeiros postados a cada rodada pelos árbitros e consentidos pela Federação não corresponde à realidade das bilheterias, então qual clube está sendo, na realidade, detentor da melhor média de público? Perde sentido o meu ranking de bilheterias, cuja fonte, eu acreditava, era um pseudo sério conjunto de boletins financeiros.

Mais uma vez, vou acionar o serviço de ouvidoria da Federação, pedindo um posicionamento agora sobre esse episódio. Confio e acredito sobremaneira em meu amigo Boi, presidente do Falcão do Vale, mas não consigo conceber a real finalidade desses tais boletins financeiros. Para a realidade de um universo boleiro que precisa cada vez mais confirmar-se como sério, lícito, não dá para entender até em que ponto somos ludibriados por falsas estatísticas. Sou de um tempo em que documento é coisa séria. E entendo boletim financeiro como coisa séria, até que a Federação Paulista de Futebol prove-me o contrário. E se isso acontecer (confirmação de veracidade parcial dos boletins financeiros), encerrarei minhas postagens sobre as competições organizadas por essa instituição.

Por fim, que não fique, aqui, como ação exclusiva do Atlético Assisense essa suspeita de manipulação sobre a venda de ingressos para o derby. Naquele domingo de Dia das Mães também chegou a ser comentado que o público presente no Tonicão seria superior a 2 mil torcedores, mas, no boletim financeiro, apareceu média inferior a isso. Desse jogo eu posso falar, pois lá estive e confesso ter estranhado a disparidade entre o que havia de massa torcedora nas arquibancadas e o que fora declarado oficialmente como público pagante.

Não fico em cima do muro e exponho minhas posições. Nesse caso dos ingressos, falar de falsificação talvez realmente seja equivocado. Ingresso falso tem de ser barrado na portaria de entrada de estádio. E, até onde sei, foram entregues a policiais militares ingressos tidos como 'brancos', mas já dentro do estádio. Logo, se o torcedor pagou por aquele ingresso, entrou no estádio e assistiu ao jogo, não foi lesado em nada. Isso, porém, em nada derruba qualquer possibilidade de ter havido dupla cobrança de bilhete de acesso, sendo um sob os auspícios da Federação e outro sob a exclusiva gerência do Atlético Assisense. Esse último fator, sim, carece de esclarecimentos maiores.



Imagem: Reprodução
Reprodução de bilhete considerado 'branco' pelos 
torcedores, adquirido na bilheteria do Tonicão


Imagem: Reprodução
Reprodução de bilhete tradicionalmente vendido com selo 
holográfico, adquirido, também, na bilheteria do Tonicão



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.

FIM DE JOGO - Vocem, classificado, devolve derrota no derby e afunda Assisense

Cláudio Messias*

Cinco jogos depois do primeiro derby contra o Vocem, no primeiro turno, o Atlético Assisense ainda não sabe o que é vencer. Sim, a última vitória do Falcão do Vale ocorreu naquele primeiro clássico, histórico, em 20 de abril (2x0). Nesse domingo, quando precisava dos 3 pontos, o Assisense não teve suficiência para converter em gols o domínio que teve durante 90 minutos do jogo realizado no estádio Tonicão.

O time do técnico Tupãzinho tinha diversos fatores a seu favor no final do derby. O Vocem, com um jogador a menos, fez 1x0 aos 19 minutos da etapa complementar e a partir de então, retrancou. Na definição de meus amigos que foram ao estádio e despacharam recados durante os 90 minutos de bola rolando, aos 40 minutos finais a realidade mostrava o Atlético Assisense dominando toda a metade do gramado, sufocando o Vocem na defesa.

A realidade, agora, mostra dois jogos para encerrar a Primeira Fase da Segunda Divisão do Campeonato Paulista 2014. O Vocem, classificado, ainda pode chegar aos 19 pontos e, até mesmo, passar o líder Grêmio Prudente na liderança. Nos meus prognósticos, garante vaga na Segunda Fase, pois mesmo que perca os dois últimos jogos, ainda será um dos três melhores quartos colocados entre grupos. Estratégico que é, bastará segurar os dois próximos adversários, quais sejam, Grêmio Prudente e Osvaldo Cruz, respectivamente em casa e fora, para garantir lugar entre os três primeiros do grupo e, assim, não ter sustos no final.

Já o Atlético Assisense passa a viver uma fase em que tem ótimas lembranças da bola rolando nos últimos 4 jogos, ocasiões em que dominou os confrontos, mas vê placares finais trágicos no seu retrospecto. Desde a vitória no primeiro derby, o Falcão do Vale empatou um jogo e perdeu 4, sendo três deles em pleno Tonicão. Agora, com os mesmos 7 pontos, pode chegar aos 13 pontos que dão classificação como um dos 3 melhores quartos colocados, desde que vença o Bandeirante, em Birigui, e o Presidente Prudente, na última rodada. Lembremos que no primeiro turno o mesmo Bandeirante venceu o Assisense, em pleno Tonicão, por 2x0. Ou seja: difícil.

Há, lamentavelmente, um fator externo que pode levar o Atlético Assisense para a Segunda Fase, desde que faça pontos nesses dois jogos finais. O Osvaldo Cruz vai a julgamento no TJD por ter, segundo denúncia do Presidente Prudente FC, escalado irregularmente jogadores no confronto entre as duas equipes, no confronto do dia 27 de abril, em Osvaldo Cruz. O jogo foi vencido pelo Osvaldo Cruz (2x1) e caso haja punição, esses 3 pontos ficam cancelados e passam para o adversário. Sem os pontos, o Osvaldo Cruz cai para 7 pontos e o Presidente Prudente vai a 9 pontos, cenário que, hoje, colocaria o Atlético Assisense como lanterna do grupo 1. A questão é que o Falcão do Vale tem confronto direto com o PPFC, em casa, na última rodada, e pode avançar para a quarta colocação, desde que não perca pontos em Birigui e o Presidente Prudente continue tropeçando.

Pelo que vi e analisei até aqui, Vocem, Bandeirante e Grêmio Prudente merecedores da vaga que garantiram na Segunda Fase. O Atlético Assisense, que até se esforçou levando Tupãzinho, fez mais com Alisson Moraes, treinador menos famoso, porém, nas quatro linhas e com a bola rolando, mais competente e eficiente. Tenho dúvidas reais e justificáveis sobre a classificação do Falcão do Vale, que já não é merecedor de passagem. Como costumo dizer, sempre, classificar na Primeira Fase é obrigação de todo clube que realmente deseja fazer da Segundona uma ponte de acesso à Série A-3. Hoje, só vejo os três primeiros colocados merecendo esse status de classificados.



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.


SITUAÇÃO DE MOMENTO - Vocem abre o placar no Tonicão

Cláudio Messias*

A filosofia do futebol não falha: uma oportunidade basta para aquele que está pressionado em clássico. Vocem abriu o placar aos 19 minutos do segundo tempo, no Tonicão. Agora, desespero para o Atlético Assisense, que com essa derrota afunda em crise e caminha para a quase eliminação, no que depender daquilo que rola dentro de campo.

Cinco minutos depois, o autor do gol do Vocem foi expulso, por receber o segundo cartão amarelo (ele havia recebido o primeiro amarelo na comemoração do gol). Atlético Assisense continua na pressão, faz alterações e tenta igualar o placar, resultado que lhe mantém vivo na briga por vaga, sem depender de tapetão.


SITUAÇÃO DE MOMENTO - Atlético Assisense melhor, Vocem recuado: 0x0

Cláudio Messias*

O Atlético Assisense assumiu a condição de mandante no derby e partiu pra cima do Vocem. Em cinco minutos de bola rolando na etapa complementar foram quatro chances claras de gol. A principal delas, jogada pela direita, cruzamento na área e Laércio cabeceando, livre, para cima do gol do Vocem. Lance definido por meus amigos que foram às molhadas arquibancadas do descoberto estádio Tonicão como sendo da galeria do Inacreditável Futebol Clube.

De uma só vez o Vocem fez duas substituições de jogadores, com menos de 10 minutos de jogo no segundo tempo. As alterações surtiram efeito e o time visitante começou a chegar ao ataque, sem, porém, ameaçar a meta do Atlético Assisense. Nada, contudo, que mude o favoritismo construído durante a partida pelo mandante do derby, que já merece vencer.

Daqui a meia hora volto com a situação de momento do jogo.


FIM DO PRIMEIRO TEMPO - Atlético Assisense 0x0 Vocem

Cláudio Messias*

Por volta de 400 torcedores testemunham o empate sem gols entre Atlético Assisense 0x0 Vocem, no descoberto estádio Tonicão, em Assis, nessa manhã de domingo. A chuva parou, mas já foi suficiente para esvaziar o derby da cidade. Esperavam-se mais de mil torcedores para esse segundo confronto entre os dois clubes assisenses.

Continuo recebendo torpedos, via celular, de torcedores que estão no estádio Tonicão. A opinião deles corresponde, em partes, ao que a transmissão da rádio Assiscity está oferecendo nessa única alternativa de acompanhamento, à distância, do derby. Atlético Assisense mais técnico, Vocem mais fechado. Natural para dois times com perfis distintos, comprovados já no derby do primeiro turno.

Nas chances de gol o Atlético Assisense esteve mais próximo de abrir o placar, em pelo menos dois lances. Mas o Vocem, rápido nos contra-ataques, deu a resposta de imediato. No saldo geral, segundo meus amigos, que torcem para ambos os times, sem distinções, jogo equilibrado, com o Assisense um pouco melhor. Placar de 0x0, portanto, é justo por enquanto.

A crítica dos torcedores continua sendo a numeração das camisas do Vocem. Percebi isso no único jogo do outro time de Assis que assisti até agora, qual seja, o derby do primeiro turno. Simplesmente, fica impossível visualizar quem é um ou outro jogador quando o mesmo encontra-se na faixa central do campo. Com chuva, parece que essa visualização ficou impossível.

Bola nas redes - Nos demais jogos da oitava rodada a bola balançou as redes nos confrontos: Fernandópolis 0x1 Olímpia, Sumaré 1x0 Elosport, Taquaritinga 1x0 Lemense, XV Jaú 0x2 Pirassununguense, São Bernardo 0x1 Mauaense, Primavera 2x0 Paulínia, Portuguesa 1x0 Diadema. Além de Assisense 0x0 Vocem temos outros jogos sem gols: Novorizontino 0x0 Independente, São Vicente 0x0 Jabaquara, Manthiqueira 0x0 Jacareí.


SITUAÇÃO DE MOMENTO - Duas chances para cada lado, mas Assisense 0x0 Vocem no placar

Cláudio Messias*

A rádio Assiscity Online entrou no ar e está transmitindo o derby Atlético Assisense 0x0 Vocem, direto do estádio Tonicão. O internauta que aguarda o retorno do sinal da emissora precisa fazer atualização de seu navegador para, então, obter a transmissão.

No campo, de acordo com meus amigos que estão nas arquibancadas do Tonicão, debaixo de garoa, o jogo está equilibrado. Atlético Assisense, repetindo o que já fez no derby do primeiro turno, é dono da bola no chão, enquanto o Vocem é mais força.

Nas oportunidades, duas chances para cada lado, mas o Atlético Assisense já raspou a trave do gol do Vocem. Uma confusão, claro, como é normal em derby. Jogada mais ríspida, empurra, empurra, por volta dos 35 minutos do primeiro tempo, e um cartão amarelo para cada lado.

Gramado suporta bem o jogo, apesar das horas ininterruptas de chuva em Assis. No momento, 37 minutos de bola rolando e 0x0 no placar, resultado que agrada ao visitante Vocem mas que preocupa o desesperado Atlético Assisense.


SITUAÇÃO DE MOMENTO - Atlético Assisense pouco melhor que Vocem no derby: 0x0

Cláudio Messias*

A bola está rolando há pouco mais de 20 minutos no estádio Tonicão, em Assis, para o derby Atlético Assisense x Vocem. Muita chuva nesse domingo no Médio Vale, o que associado ao frio esvaziou as vergonhosas arquibancadas do inacabado estádio de Assis. 

Por motivos ainda não tornados públicos a rádio Assiscity Online, única a cobrir os jogos dos dois imes de Assis, não está no ar nesse domingo de derby. Quem não foi ao estádio, portanto, não tem parâmetros sobre o andamento do clássico local.

Tenho alguns amigos que estão enviando informações sobre o decorrer da partida. Até os 22 minutos o jogo estava 0x0, com o Atlético Assisense dominando com a bola no chão e o Vocem, mais na pegada. Vocem com duas oportunidades boas de gol e o Atlético Assisense com uma cobrança de falta perigosa nos arredores da grande área, no ataque, exigindo defesa parcial do goleiro vocemista.

O gramado do Tonicão, reformado no início do ano, suporta sem problemas o jogo e a chuva.

Daqui a 10 minutos volto com a situação de momento do jogo.


sábado, 24 de maio de 2014

CREPÚSCULO - Grêmio Prudente faz 2x0 e dá o recado: se virem

Cláudio Messias*

O Grêmio Prudente demonstrou, nesse sábado, por que é o melhor clube do grupo 1 e um dos melhores de toda a Segunda Divisão do Campeonato Paulista de 2014. Fez 2x0 no Osvaldo Cruz, em casa, e terá tempo de sobra para programar sua participação na Segunda Fase. Clube que tem projeto, estratégia e equilíbrio avança com tranquilidade na Prima Fase da Segundona.

A partida realizada no estádio Prudentão terminou minutos atrás. Se o Grêmio abriu o placar aos 21 minutos iniciais com Luciano Gigante, sepultou o placar aos 46 minutos complementares, com Elielton. Em momento algum, na cobertura feita pela rádio Clunbe 750 AM, de Osvaldo Cruz, os visitantes ofereceram perigo ou ameaçaram o domínio do Grêmio. Situação, pois, que faz jus ao resultado e confirma que a nossa região terá, sim, ao menos um representante na reta final da Segundona, caso a tendência se confirme.

O Osvaldo Cruz sai da rodada como o maior prejudicado entre os três clubes que figuravam na zona de classificação para a Segunda Fase. Corre o risco de ser ultrapassado pelo Atlético Assisense, caso o mesmo vença o derby de amanhã contra o Vocem, mas ainda assim, caso o Vocem é que vença esse confronto, vê como distante uma campanha que o torne um dos 3 melhores quartos colocados entre os 7 grupos em disputa nessa fase inicial do torneio. Digo isso porque o time de Osvaldo Cruz terá como dois últimos confrontos o Presidente Prudente, no mesmo estádio Prudentão, e, por fim, o Vocem, em Osvaldo Cruz. Em momento algum, nesse ano, o Azulão de Osvaldo Cruz convenceu-me de que pode passar de fase.

Contra o Osvaldo Cruz pode pesar, ainda, uma situação de tapetão que remete ao amadorismo. Há, de acordo com a rádio Clube 750 AM, não só uma situação de denúncias de irregularidades contra o clube, mas, sim, duas. E, o que é pior, em jogos distintos, o que representa a possibilidade de perder ao menos 4 pontos na tabela, cessando qualquer sonho de avanço para a Segunda Fase. Ambos os casos estão no Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol, com julgamento, a priori, no dia 2 de junho.

Enfim, a partir de agora o derby Atlético Assisense x Vocem serve para definir o futuro das duas equipes de Assis. Com a iminente perda de ao menos 3 pontos do Osvaldo Cruz no TJD, o empate no jogo desse domingo, no Tonicão, pode ser encarado como bom para os dois times de Assis, uma vez que nesse contexto o Vocem estaria aritmeticamente classificado junto com o Bandeirante, restando ao Atlético Assisense fazer das duas últimas rodadas uma oportunidade de ficar entre os 4 primeiros colocados da chave e avançar para a Segunda Fase por critérios técnicos.

Em suma, se o Vocem vencer o derby, confirma a lógica e carimba o passapoirte. Se o Atlético Assisense é quem vencer, continua no páreo. Se der empate, Vocem dentro, Falcão do Vale respirando por aparelhos.



*Professor universitário, historiador e jornalista, é mestre e doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA/USP.