Jovem Pan Online - RSS

quarta-feira, 21 de março de 2018

FISCALIZAÇÃO ELETRÔNICA - 21MAR

FIM
Uma faixa estampada na fachada de uma das mais tradicionais lojas de confecções da Sucupira do Vale anuncia o fechamento do estabelecimento. A Casa São Jorge está colocando artigos à venda por até 70% de desconto. Se não for jogada de marketing, com certeza e um triste desfecho para uma loja que consolidou-se, no tempo, como referência na revenda de marcas de vestuário hoje representadas em vitrines de lojas de shoppings.

REVIGORADO
A rede Walmart, especulada por publicações como a Exame acerca de uma possível saída do Brasil, surpreendeu o setor de varejo com uma reestruturação em nível nacional. Bom para Assis, que na mesma linha de especulações perderia a filial local.

REVIGORADO II
Quem, a exemplo do blogueiro, prefere compras no Walmart, tem notado, após o Carnaval, um ambiente mais revigorado. E, por consequência, estacionamento repleto de veículos. Além disso, número maior de caixas para efetivação das vendas.

REVIGORADO III
No Nordeste, onde o Walmart denomina suas lojas com a bandeira Bom Preço, algumas mudanças em 2018. No retorno a Assis, semana passada, por exemplo, o blogueiro notou que a loja Bom Preço nas proximidades do aeroporto internacional dos Guararapes está, agora, com a fachada característica do Walmart.

REVIGORADO IV
Em Campina Grande a bandeira Bom Preço tem três grandes lojas, duas delas com perfil de hipermercado. Ambas continuam com a mesma fachada, porém, conforme novo cronograma de gestão anunciado para esse ano, também passarão a ser bandeira Walmart.

CAUSA X CONSEQUÊNCIA
Nessa rotina de deslocamentos entre Assis e Campina Grande o blogueiro tem, desde 2010, testemunhado alguns eventos, digamos, interessantes, relacionados a tráfego por aeroportos. Nada pode ser comparável à inflação de preços das passagens pós-Copa 2014 (o pior 'legado' desse fatídico Mundial), mas um detalhe na legislação de despacho de bagagens, vigente desde 2017, merece um pitaco.

CAUSA X CONSEQUÊNCIA II
Tanto pela Azul quanto pela Gol, companhias aéreas que o blogueiro mais utiliza para ir a ou voltar de Campina Grande, o preço médio, a mais, para despachar mala de 23 quilos varia de R$ 30 a R$ 40 nesse trecho. Simplificando, algo em torno de 10% do preço da passagem multitrechos.

CAUSA X CONSEQUÊNCIA III
A legislação determina e as companhias aéreas especificam que a bagagem de mão tenha (i) tamanho limitado e (ii) peso determinado em 10 quilos. Acontece, porém, que os checkins são feitos online e, portanto, as empresas aéreas não têm como aferir tamanho e peso das bagagens que os passageiros levam para embarque.

CAUSA X CONSEQUÊNCIA IV
Aí é que começa o problema. Passageiros têm levado malas com tamanho que os compartimentos de bagagens internos das aeronaves não comportam. O resultado disso é que se antes você sentava abaixo ou a pouca distância do compartimento onde colocou a bagagem de mão, agora, de não pegar bom lugar na fila de embarque, certamente ficará a metros de sua posse. E isso, claro, atraso o desembarque e gera ainda mais confusão que o normal, considerando que o brasileiro é desesperado para desembarcar de circular, ônibus, trem, metrô, avião ou nave espacial.

CAUSA X CONSEQUÊNCIA V
Nessa mais recente viagem o blogueiro perguntou aos funcionários da Receita e da Polícia Federal que vistoriam bagagens de mão no acesso à área de embarque, em Recife, sobre a competência quanto à verificação de tamanho e peso das malas. A resposta veio em tom de boa ironia pernambucana, supondo que a legislação de despacho de bagagens possa ter sido elaborada por alguém que desconhece a rotina de embarque e desembarquem, sem, portanto, indicar como será feito para que cada passageiro transporte apenas 10 quilos. Faz sentido.

BOM GOSTO
A diretoria do Vocem está utilizando as redes sociais para divulgar os uniformes que o time vestirá em 2018 para a disputa do Campeonato Paulista, que começa em abril. A novidade é que podem ser comprados, pelos torcedores, três modelos de camisa. Além da tradicional vinho e branco, uniforme número 1, há opções com predomínio na cor branco, sendo uma com uma cruz estampada no peito e a outra com inversão de cores do uniforme 1, ou seja, branco com listras em vinho.

TUDO NORMAL
Blogueiro confessa ter prenunciado caos com a alteração de trânsito que devolveu mão dupla de direção à avenida Rui Barbosa, trecho entre a quadra da Prefeitura e o Ônix Hotel. Passados alguns meses, a tradicional caminhada de final de dia em que o comunicador faz esse trajeto confirmou, no rush das 18 horas, que não há nada de anormal no trânsito naquele trajeto.

TUDO NORMAL II
Aliás, cabe ressaltar, aqui, algo que os moradores da cidade, habituados na correria do dia a dia, talvez não percebam: ao menos na região central, Assis está uma cidade bem cuidada, se comparada a outros centros de porte semelhante. Projetos urbanísticos iniciados na gestão Ezio Spera, mantidos por Ricardo Pinheiro e hoje continuados pela atual gestão fazem de Assis uma bela cidade.

CONTRAPONTO
Nada que justifique, por exemplo, o recapeamento asfáltico na rua em três quadras que circundam a casa do prefeito, enquanto a cidade por completo padece com uma buraqueira vergonhosa.

CIDADE 'GRANDE'
Blogueiro retorna à Sucupira do Vale e depara com outra empresa prestando serviços de transporte 'público'. E lê, no site de notícias oficial do município, que a Brambilla socorreu a prefeitura, após quebra de contrato com a empresa anterior. O que surpreende é a contrapartida do município a essa ajuda, pois o preço de R$ 4,00 pela passagem é um dos maiores absurdos da história do setor nessa cidade.

CIDADE 'GRANDE' II
Na mesma semana da chegada do blogueiro o Não Tem Notícias 1.a Edição mostra que em Botucatu a prefeitura irá subsidiar parte do preço da passagem no transporte público. E lá, que é maior do que aqui, o preço do bilhete é de R$ 3,80.

TEM NADA NÃO
E por falar em TV Tem, o jornalismo da afiliada regional da Globo continua o mesmo. Ou seja, muito ruim. Preparar almoço ou fazer refeições ao meio-dia assistindo ao canal é de tirar a fome de qualquer um. Apresentador é um misto de pastor, padre e palestrante de auto-ajuda, e as edições fogem da normalidade. Ao ponto de, nessa quarta, reportagem sobre confusão envolvendo o Marília Atlético Clube afirmar que determinado atleta, que pediu rescisão contratual com o clube, ter sido agredido por jogadores, quando, na realidade, as imagens mostraram eventual desentendimento com torcedores. Que coisa!